Crianças são estupradas em “creche informal”

A Polícia Civil de Sorocaba confirmou nesta segunda-feira que quatro crianças entre 4 e 6 anos de idade foram estupradas em uma creche informal localizada no bairro do ??den. Segundo as investigações, as vítimas ficavam sob a responsabilidade de uma cuidadora e eram abusadas pelo marido dela, Edilson Bispo de Almeida, 43 anos. As mães deixavam as crianças no local enquanto trabalhavam. De acordo com a delegada Ana Luiza Salomone, um exame de corpo de delito em uma menina de 4 anos comprovou a violência sexual. ???(Comprovamos) pelo relato das próprias crianças, um relato muito confiável, muito consistente, também das mães que acompanharam esses depoimentos. O fato de não haver um laudo positivo não quer dizer que não houve um ato libidinoso praticado com ela. Alguns atos libidinosos não deixam marcas no corpo físico. Então trabalhamos, neste caso, com os testemunhos e demais provas em direito admitidas???, disse. As informações são do TEM Notícias, da TV TEM.Edilson, que está detido na cadeia de Pilar do Sul, teve a prisão prorrogada por mais 30 dias. A polícia pretende ouvir novamente o depoimento da mulher dele, para saber se há participação dela nos crimes. ???Ela ainda é suspeita, é considerada autora no inquérito policial e continuamos tentando provar a participação dela???, disse a delegada. A polícia suspeitava que 10 crianças teriam sido vítimas. A investigação, no entanto, concluiu que três meninas e um menino sofreram os abusos. Uma delas ficou sob a responsabilidade da cuidadora dos três meses aos dois anos de idade. A mãe da criança, que não frequentava a casa há um ano, ficou sabendo das denúncias e também procurou a polícia. A menina foi ouvida pela delegada e confirmou a violência. Segundo a polícia, exames psicológicos de duas vítimas ainda são esperados para serem incluídos no processo.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE