Crianças de Emei vivenciam projeto sobre respeito ao próximo

As 23 crianças do período da tarde da Emei Corimbó, do bairro Jardim São Paulo, participaram da festa de encerramento do projeto, “Eu, você e todos nós”, nesta quarta-feira, (24). A comunidade também participou do evento.

O projeto, coordenado pela professora Márcia Fornaziero, teve o objetivo de manifestar o respeito entre diferentes culturas e modos de vida, do passado e do presente, valorizando as marcas culturais de seu grupo de origem e de outros grupos. “No início do ano queria fazer com que as crianças interagissem, se conhecessem, tivessem a percepção do outro, uma referência do conhecimento do outro”, afirmou a professora.

“No início queria que eles pudessem reconhecer a si mesmos, identificando suas características e potencialidades, bem como reconhecer a diversidade presente na sala de aula, visando a construção de uma postura de respeito ao outro”, disse Márcia.

Segundo a professora, com estas percepções, os alunos foram apreendendo as diversidades existentes na sala de aula. “Ao falar de suas origens, suas características físicas, laços familiares, suas histórias, eles começaram a perceber o outro, que tem seu jeito de agir e pensar”, afirmou.

Márcia apresentou aos alunos informações de outras duas culturas que influenciaram o modo de vida do brasileiro, a africana e a indígena. “Através de livros de histórias, textos, vídeos, brincadeiras, confecção de brinquedos e instrumentos musicais, mostrei a eles costumes de outros povos”, disse a professora.

Márcia percebeu que os alunos se interessaram mais pela cultura indígena e daí surgiu a ideia do projeto, “Eu, você e todos nós”, para que os conhecimentos fossem adquiridos e ampliados sobre o tema.

Na avaliação da coordenadora da Emei, Sandra Regina Vicentini, os alunos vivenciaram, do início do ano até o momento, a relação com o outro, a valorização de si mesmo, o respeito ao outro e o aprendizado das regras sociais de convívio. “Ter consciência de si, seus gostos, sentimentos, origens, laços, cultura, nacionalidade, são coisas vitais para o desenvolvimento da identidade, conceitos esses que são necessários para construção da subjetividade da infância. O projeto realizado pela professora Márcia contemplou tudo isso, de forma lúdica e prazerosa”, analisou Sandra.

A Emei organizou exposições de instrumentos, pinturas e brinquedos indígenas. Fez bolo de mandioca e mungunzá para oferecer aos pais. Os alunos, em homenagem aos povos indígenas, tiveram os rostos pintados, usaram o cocar indígena e cantaram para os pais.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE