Covid mata mais 7 pessoas de Nova Odessa

A Secretaria da Saúde de Nova Odessa, por meio do Departamento de Vigilância Epidemiológica, confirmou nesta quarta-feira (14) o registro de mais sete mortes de moradores da cidade por complicações ocasionadas pelo novo coronavírus.

De acordo com o Departamento de Vigilância Epidemiológica, o número inclui casos “represados” e que aguardavam resultados de exames laboratoriais realizados pelo Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência para a Saúde Pública no Estado, desde o último dia 26 de março. Com esses dados, Nova Odessa atinge a marca de 124 óbitos pela Covid-19 desde o início da pandemia, há 13 meses.

Segundo o Boletim Diário, a 118ª vítima fatal do vírus na cidade foi uma idosa de 60 anos, moradora do Jardim Nossa Senhora de Fátima. Ela faleceu em Americana no dia 26 de março. Um dia depois (27/03), também internado em Hospital de Americana, foi a vez de um homem de 57 anos, morador do Jardim Santa Luiza, falecer por complicações da Covid.

A 120ª vítima fatal do vírus foi um idoso de 77 anos, morador do Jardim Planalto. Ele era cardiopata e diabético, fatores de risco para o novo coronavírus. As outras vítimas foram um idoso de 63 anos do Santa Luiza, dois homens, um de 37 e outro de 55 anos, moradores do Jardim Monte das Oliveiras e do Jardim Maria Raposeira Azenha, respectivamente. E a 124ª vítima, um idoso de 61 anos, era morador do Jardim Santa Rosa. Os óbitos ocorreram entre 31 de março e 9 de abril, em Hospitais de Americana.

Segundo os dados apurados e divulgados pela Vigilância Epidemiológica, o município somou também mais 12 casos positivos do novo coronavírus em 24h, elevando para 3.433 o total de pacientes infectados desde o início da pandemia. Neste momento, 503 casos seguem em investigação, incluindo 11 óbitos suspeitos, aguardando confirmação por exames de laboratório.

Ao todo, 3.008 pessoas que foram positivadas em algum momento já são consideradas curadas da doença (87,6% do total). Os casos ou óbitos positivos para Covid-19, ou os pacientes “suspeitos” que são negativados, só entram no boletim diário da Vigilância Epidemiológica após os resultados dos exames laboratoriais realizados pelo Instituto Adolfo Lutz (o que podem levar vários dias ou semanas), como determinam as regras oficiais da área que valem para todos os municípios.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE