Edit

Covid-19 SB: 15 mil “faltosos” não tomaram a 2ª dose da vacina

A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste informa que mais de 15 mil pessoas estão com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em atraso no Município. Essas pessoas já poderiam ter tomado a segunda dose do imunizante, no entanto ainda não procuraram um ponto de vacinação para completar o esquema vacinal.

Entre os “faltosos” da segunda dose, estão 8.031 pessoas que receberam a primeira dose com o imunizante da Pfizer/Biontech, 4.088 que foram imunizados com a vacina da AstraZeneca/Oxford e 3.067 que receberam o imunizante da Coronavac/Butantan. Entre as faixas etárias com os maiores números de segundas doses pendentes estão pessoas de 20 a 29 anos (5.427), 30 a 39 anos (3.236), 18 e 19 anos (2.528), 40 a 49 anos (2.079) e 50 a 59 anos (1.123).

O Município reitera que as pessoas que já tomaram a primeira dose devem se atentar ao prazo para aplicação da segunda dose. Apenas após receber duas doses da vacina da Coronavac/Butantan, da Pfizer/Biontech ou da AstraZeneca/Oxford é possível completar o esquema vacinal.

Prazos para segunda dose

O período recomendado entre a primeira e a segunda dose da AstraZeneca/Oxford é de 12 semanas (84 dias) e da Coronavac/Butantan entre 21 e 28 dias. No caso da Pfizer/Biontech o prazo foi reduzido para adultos (18 anos ou mais)  para 21 dias. Enquanto para adolescentes de 12 a 17 anos o prazo foi mantido de 8 semanas (56 dias).

Se o adulto tomou a primeira dose da vacina da Pfizer no dia 1º de outubro ou em data anterior, nesta sexta-feira (22) já pode procurar o ponto de vacinação mais próximo para completar seu esqueça vacinal. No caso de adolescentes de 12 a 17 anos, para receber a segunda dose também nesta sexta, devem ter recebido a primeira dose do imunizante no dia 27 de agosto ou em data anterior.

Se a pessoa recebeu a primeira dose da vacina da AstraZeneca no dia 30 de julho ou em data anterior, também está apto a procurar um ponto de vacinação para receber a segunda dose.

Já no caso de ter recebido a primeira dose da Coronavac no dia 1° de outubro ou em data anterior, a segunda dose já pode ser aplicada nesta sexta-feira.

Para a aplicação da segunda dose a pessoa deve apresentar documento com foto, CPF e o cartão de vacinação. Importante ressaltar que em alguns casos as pessoas podem deixar de tomar a segunda dose por alguma contraindicação de momento, mas que após esse impedimento temporário devem completar o esquema vacinal o mais rápido possível.

A imunização ocorre de segunda a sexta-feira, das 9 às 16h30, nos ginásios “Djaniro Pedroso” (Rua Prudente de Moraes, 250, no Centro) e “Mirzinho Daniel” (Rua Bororós, s/nº, no Jardim São Francisco) e na Casa de Maria (Rua Mococa, 510, no Jardim das Laranjeiras).

A vacinação segue para adolescentes de 12 a 17 anos, com e sem comorbidades, com deficiência permanente, gestantes e puérperas; pessoas com 18 anos ou mais, com e sem comorbidades; grávidas e puérperas (mulheres que deram à luz num período de até 45 dias) com e sem comorbidades com 18 anos ou mais; pessoas com deficiência permanente, cadastradas ou não no BPC com 18 anos ou mais; pessoas com Síndrome de Down; profissionais da Educação com 18 anos ou mais e profissionais de Saúde, além das segundas doses para os públicos inseridos e dose adicional para profissionais de Saúde e idosos com 60 anos ou mais, que já tenham completado seis meses da segunda dose, e imunossuprimidos com 18 anos ou mais, após 28 dias da segunda dose.

Primeira dose

Para tomar a primeira dose, todos devem apresentar documento com foto, CPF e comprovante de endereço atualizado com data de 2021. Para alguns grupos prioritários, além do CPF e comprovante de endereço no nome, também é necessário apresentar outros documentos comprobatórios.

Caso a pessoa não possua comprovante de endereço em seu nome, é preciso comprovar residência no município por grau de parentesco – de 1º grau (pai, mãe ou filhos) ou do cônjuge (esposa ou marido) via certidão de casamento – contrato de aluguel com firma reconhecida em cartório ou ainda com declaração de próprio punho também reconhecida em cartório, além de outros comprovantes.

Para agilizar o processo de identificação e vacinação, é recomendado o pré-cadastro no site Vacina Já (www.vacinaja.sp.gov.br), do Governo do Estado de São Paulo, a todos os públicos que vêm sendo inseridos no calendário de imunização. Vale ressaltar que o cadastro não é um agendamento para a vacinação.

A vacinação para adolescentes, no Estado de São Paulo, deve ter a autorização dos pais e/ou responsáveis legais. É necessário que sejam acompanhados de um adulto responsável, podendo esse proceder com a autorização verbal para o ato de vacinação.

Caso não haja a presença de um adulto responsável, a vacinação poderá ocorrer mediante a apresentação de termo de assentimento no link https://is.gd/termovacinacao devidamente preenchido e assinado pelos pais e /ou responsáveis legais, de acordo com o disposto no art. 142 do Estatuto da Criança e do Adolescente. Esse termo ficará retido nos pontos de vacinação.

Os tipos de comorbidades e as documentações para este público podem ser acessadas no link: www.is.gd/adolescentecomorbidadesbo

Dose adicional

Para a dose adicional, idosos e imunossuprimidos devem apresentar o cartão de vacinação contendo a informação das duas doses da vacina aplicadas, CPF e documento com foto, além de comprovante de endereço.

Além dos documentos acima, o profissional de Saúde apto a receber a dose adicional precisa apresentar também o comprovante de endereço do município em seu nome e/ou comprovante de vínculo em serviço de saúde do Município.

Segundo orientações da Secretaria de Estado da Saúde, consideram-se pessoas com alto grau de imunossupressão indivíduos que possuam: imunodeficiência primária grave, quimioterapia para câncer, transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras, pessoas vivendo com HIV/Aids com CD4 < 200 cel/mm3, uso de corticóides em doses >= 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por >= 14 dias, uso de drogas modificadoras da resposta imune, pacientes em terapia renal substitutiva (hemodiálise) e pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias).

O Plano de Vacinação no Município é desenvolvido com cronograma de prioridades, seguindo diretrizes do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde e mediante envio e disponibilidade de doses. As doses a serem aplicadas em cada público são definidas previamente pela Secretaria de Estado da Saúde.

Em caso de dúvidas gerais sobre a vacinação contra a Covid-19 no Município, a pessoa pode entrar em contato, de segunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas, pelo telefone 3455.1654.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE