Atacada por Bolsonaro, Coronavac a vacina que mais previne mortes

do YahooBR- Atacada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a Coronavac é a vacina mais eficaz para prevenir mortes provocadas pelo novo coronavírus, com 97% de eficácia para casos graves da doença.

Os dados compõem um levantamento produzido pelo ex-secretário Nacional de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde e atual secretário de Serviços Integrados de Saúde do STF (Supremo Tribunal Federal), Wanderson de Oliveira, por meio do sistema OpenDataSus, do Ministério da Saúde.

Segundo reportagem publicada pelo portal UOL, o imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac é o que mais protege contra casos graves da Covid-19.

O estudo apontou que, após duas semanas da segunda dose, a Coronavac apresentou 50,4% de eficácia para casos muito leves (que não requerem nenhum atendimento médico); 77,96% de eficácia para casos leves que requerem atendimento médico; e 97% para casos graves.

O secretário chama atenção para o fato da vacina, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biontech, ter a taxa mais alta de prevenção contra mortes. O estudo também analisou as taxas de eficácia contra casos graves das outras vacinas como da Astrazeneca (90%), Pfizer (80%), Janssen (85%) e Sputnik V (85%).

“A vacina está cumprindo o papel dela: evitar gravidade de casos críticos. Baseado nesses dados, nas informações do sistema oficial do Ministério da Saúde, a vacina se prova mais uma vez eficaz”, disse o epidemiologista em entrevista ao portal UOL.

Para rivalizar com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), Bolsonaro já desestimulou a vacinação com a Coronavac mentindo que o imunizante transformava pessoas em “jacarés”.

Neste mês, a OMS (Organização Mundial da Saúde) autorizou o uso emergencial em maiores de 18 anos da Coronavac.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE