Coréia tem seu ‘Fola Dilma’

(Reuters) – Centenas de milhares de sul-coreanos se reuniram em Seul neste sábado, o sexto fim de semana seguido de protestos, exigindo a demissão da presidente Park Geun-hye.
A marcha veio após três partidos da oposição apresentarem um projeto de lei para o parlamento para acusar Park, que pode se tornar a primeira líder democraticamente eleita a ser forçada a deixar o cargo.
O projeto, assinado por 171 membros da assembleia de 300 assentos, disse que Park violou a Constituição e o direito penal ao abusar de seu poder no escândalo do tráfico de influências.
Park é acusada de conviver com uma amiga, Choi Soon-sil, que foi acusada de abuso de poder, para pressionar indevidamente empresas a contribuir com fundos para fundações que foram criadas para promover suas iniciativas políticas.
Park negou envolvimento, mas pediu desculpas à nação.
Os três partidos da oposição disseram na sexta-feira que votarão pelo impeachment de Park no dia 9. Um projeto de lei, uma vez introduzido, é revisto pela secretaria do parlamento, uma formalidade, antes de ser levado ao plenária.
Os três partidos da oposição têm membros suficientes para levar o processo de impeachment, mas precisarão de 28 membros do Partido Saenuri do Parque para levar a votação para a maioria de dois terços necessária para aprovar a lei. Não está claro se há suficientes membros do Saenuri para a votação.
Os organizadores do evento estimaram que 500 mil pessoas participaram do protesto de sábado, enquanto a polícia recusou dar uma estimativa, mas disse que cerca de 20 mil policiais acompanhavam o movimento.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE