Contra o lockdown, Leitinho critica disputa política

No que dependesse do prefeito Cláudio José Schooder, o Leitinho (PSD), os comércios e prestadores de serviços em Nova Odessa não teriam severas restrições para trabalhar. O chefe do Executivo afirma que tem feito esforços no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), mas não concorda com o ‘lockdown’ e critica disputas políticas no país.

Leitinho participou na semana passada e nesta de reuniões virtuais com prefeitos da RMC (Região Metropolitana de Campinas), para definir mais restrições de circulação entre 20h e 5h, mas não o fechamento total das atividades econômicas. Na segunda-feira (22) o prefeito comentou o assunto durante uma entrevista para a TV WA Notícias.

“Alguns prefeitos são favoráveis (ao lockdown). Eu até entendo, pela questão das UTIs estarem lotadas. Mas não podemos prejudicar mais ainda a economia”, defende Leitinho. “Da maneira que está ainda ‘pinga’ alguma coisa, mas com lockdown iria secar. Teria que dar condições pra população sobreviver, em especial os comerciantes”, diz o novaodessense.

O prefeito novaodessense analisa que, para ser implantado a nível estadual ou até federal, o lockdown efetivo deveria ser acompanhado de auxílio financeiro direto pelo Estado e a União. “Antes diziam que os comerciantes e autônomos vendiam o almoço pra comer a janta. Agora estão vendendo o almoço e a janta pra tomar o café da manhã”, lamenta.

Leitinho cita que o município não tem condições de ajudar diretamente os comerciantes e autônomos. “Tem de ter a união dos Governos Federal e Estadual para chegar mais rápido a vacina”, defende. O prefeito critica a disputa pública entre o governador João Doria (PSDB) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), seja nas restrições ou na compra das vacinas.

Para Leitinho, o foco maior de contaminações está em festas e confraternizações irregulares. “Vejo mais o coronavírus se espalhando nas festas clandestinas e não nos restaurantes, onde as pessoas usam máscaras, álcool em gel. Então a contaminação ocorre principalmente através dos jovens que participam dessas baladas”, completa.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE