Edit

Conselho da Mulher faz nota de repúdio contra vereador bolsonarista

Nota de Repúdio

 

O Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos da Mulher de Santa Bárbara d´Oeste vem, por meio desta, manifestar repúdio à fala agressiva e violenta do vereador Felipe Corá contra a vereadora Professora Juliana, de Americana.

 

O vereador disse em um vídeo veiculado em suas redes sociais para a vereadora “lavar a boca com ácido sulfúrico antes de falar mal do presidente Jair Bolsonaro”. A vereadora chamou o presidente de genocida, por conta da demora na compra de vacinas contra o Covid-19 e por propagar um kit com medicamentos ineficazes, sem comprovação científica, para tratar a infecção causada pelo novo coronavírus.

 

Como Conselho da Mulher, que vem atuando pela legitimação de toda luta em favor dos direitos da Mulher e das questões de Gênero, manifestamos nossa indignação, perplexidade e total repúdio diante do fato.

 

É deprimente constatar essa atitude neste momento em que comemoramos 15 anos da Lei Maria da Penha, uma das leis mais modernas do mundo no combate à violência contra a mulher. Não podemos nos calar diante desta violência praticada por um representante público, eleito democraticamente, que menciona a utilização de produtos químicos para calar a voz da vereadora e, por conseguinte, amordaçar o direito de livre expressão das mulheres.

 

O ato praticado pelo vereador é nitidamente caracterizado como violência política de gênero, que se define, segundo o Ministério da Mulher, da Familia e dos Direitos Humanos como “a violência através de agressão física, psicológica, econômica, simbólica ou sexual contra a mulher, com a finalidade de impedir ou restringir o acesso e exercício de funções públicas e/ou induzi-la a tomar decisões contrárias à sua vontade. Inclui-se nesta concepção as eleitas, as candidatas aos cargos eletivos, as ocupantes de cargos públicos, as dirigentes de conselhos de classe, de empresas estatais e das entidades de representação política. Em suma: atos sistêmicos de violência com o objetivo de excluir a mulher do espaço político.”

 

Não vamos nos calar, seja por essa ou por qualquer outra forma de violência e, principalmente, a de gênero. Como membros do Conselho da Mulher, manifestamos indignação a essa atitude desrespeitosa, agressiva, violenta e vexatória do vereador. E nos solidarizamos com a vereadora Professora Juliana de Americana, nesta luta contra atos que incitam qualquer tipo de violência e, em especial, a de gênero.

 

 

  Iraci Virginia Gomes         Presidente

 

Marisa de Fátima Sirino       Vice Presidente

 

Damiana Helena de Souza          Secretária

 

Tarsila Guedes Rapassi       Tesoureira

 

Reverenda Ione da Silva Assessora

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE