Confiança do empresário aumenta pouco em dezembro

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio no Município de São Paulo (ICEC) apresentou leve alta de 0,4% em dezembro, em comparação com o mês anterior (118,7), atingindo 119,1 pontos, numa escala que varia de 0 (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total). O indicador, medido pela FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), ficou pouco abaixo do registrado em dezembro de 2012, quando estava em 120,1 pontos.

Para a FecomercioSP, o resultado da pesquisa no mês de dezembro aponta pequena recuperação da confiança em relação ao momento atual e a propensão para novos investimentos, mas, por outro lado, mostra uma evolução negativa quanto às expectativas futuras do empresário. Os varejistas se mostram mais otimistas principalmente pelas vendas de final de ano, porém demonstram preocupação quanto à manutenção do ritmo das vendas devido ao cenário de incertezas da economia brasileira, principalmente para 2014.

O avanço do ICEC de dezembro ocorreu principalmente pela evolução do subíndice das condições econômicas atuais (ICAEC), quesito que vem registrando o menor nível de confiança. Em dezembro, ele teve alta de 3,1%, chegando a 90,3 pontos, contra 87,5 em novembro. O que explica essa elevação são as vendas de Natal que aumentam a percepção positiva dos varejistas. Dentro desse item, a maior influência foi percepção dos comerciantes no que tange às condições da economia no curto prazo (CAE), com avanço de 12,6%, passando de 71,6 pontos em novembro para 80,7 no mês.

Por outro lado, o subíndice que analisa a expectativa dos comerciantes (IEEC) registrou queda de 1% ao passar de 155,4 pontos em novembro para 153,8. Apesar de a percepção atual estar sendo influenciando pelas vendas sazonais, isso não tem gerado aumento das expectativas com relação ao futuro. O item que apura as perspectivas em relação ao próprio setor (EC) teve queda de 1,7% ao passar de 155 pontos em novembro para 152,4. As expectativas em relação à economia (EEB) também apresentaram queda de 1,7%, passando de 151,6 pontos em novembro para 149,1.

Já o subíndice responsável pela análise da propensão dos empresários a novos investimentos (IIEC) apontou estabilidade nos 113 (113,1 para 113,3) pontos. A maior influência observada foi em relação aos novos investimentos (NIE), com queda de 1,7%, de 108,9 pontos em novembro para 107 em dezembro. Em relação a novas contratações (IC) houve alta verificada de 0,9%, saindo de 137,5 pontos em novembro para 138,7 em dezembro.

Nota metodológica – O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) contempla as percepções dos empresários do setor em relação ao seu segmento, à sua empresa e à economia do País. São entrevistas feitas em painel fixo de empresas, com amostragem segmentada por setor (não duráveis, semiduráveis e duráveis) e por porte de empresa (até 50 empregados e mais de 50 empregados). As questões agrupadas formam o ICEC, que por sua vez pode ser decomposto em outros subíndices que avaliam as perspectivas futuras, a avaliação presente e as estratégias dos empresários mediante o cenário econômico. A pesquisa é referente ao município de São Paulo.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE