Como funciona o sistema antichute do Enem

O Enem tem uma metodologia antichute para premiar os estudantes que efetivamente resolvem as questões em vez de apenas adivinhar a resposta correta. A ideia é deixar o processo de avaliação o mais justo possível, de forma que a nota do aluno reflita o nível de conhecimento que ele possui sobre aquela matéria.
A prova tem 45 questões distribuídas em níveis fácil, médio e difícil. Olhando os acertos e erros de todas as questões, é possível saber se um desses acertos é um chute e não que o aluno resolveu a questão. 
Por exemplo, se um aluno de nível 750 acerta uma questão de nível 770, ele ganha 15 a 20 pontos nessa questão – é bem possível que ele realmente tenha o conhecimento necessário para essa questão. Se essa mesma questão foi acertada por um aluno de nível 700, o sistema vai supor que isso é um chute e dará menos pontos ao candidato.
Sempre vale a pena chutar, pois uma questão deixada em branco é contada como um erro. Mas lembre-se: faça uma seleção e corte duas a três das alternativas que possam estar erradas e faça um chute “direcionado”. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE