Como adotar guarda-roupa minimalista e versátil

Um guarda-roupa multifuncional, atemporal e com peças de qualidade. Com a tomada de consciência quanto aos impactos da indústria têxtil, cada vez mais pessoas buscam ressignificar a forma como compram roupa. Desta maneira, o fast-fashion vai dando lugar a um consumo mais consciente, que busca peças com maior durabilidade e versatilidade de combinação. 

Atualmente a indústria têxtil é a segunda mais poluente do mundo, ficando atrás apenas da produção de petróleo, assim como ocupa a mesma posição no consumo mundial de água. Segundo análise da ONU Meio Ambiente, a indústria da moda movimenta US$ 2,4 trilhões e é responsável por empregar 75 milhões de pessoas ao redor do mundo, mas perde US$ 500 bilhões ao ano apenas em descarte de roupas. 

Entre os movimentos que surgem destacam-se a minimalista, a moda sustentável e a vegana. Segundo a especialista Juliana Cunha a consciência é sobre comprar peças que se encaixam no estilo, que combinem com as que já estão no guarda-roupa e que tenham qualidade que as permitam durar anos.

“Na hora de comprar, a pessoa deve-se atentar a aspectos como sazonalidade, estado de conservação, caimento e combinação com o estilo que gosta de adotar. Esses detalhes vão fazer com que a compra seja mais inteligente e a pessoa use a peça muito mais, de forma que ela não fique inutilizada no fundo armário”, explica.   

Segundo Juliana Cunha, o processo envolve pensar a moda além das tendências voláteis, adotando a vestimenta como uma comunicação de si para o mundo externo, mostrando inclinações, gostos e preferências. “Um guarda-roupa consciente e versátil é mais que uma questão de sustentabilidade, diz sobre autoconhecimento”, diz a especialista em moda.  

Seguindo esse conceito, Juliana Cunha alerta que não é preciso ter medo de comprar roupa nova. “Atente-se a ter um guarda-roupa que atenda diferentes versões de si mesma, investindo em peças chaves, cores que mais gosta e caimentos que a fazem com que você se sinta confortável com você mesma”, resume.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE