Como a tecnologia alterou as concepções de mercado

As revoluções técnico-científicas, sobretudo as que se sucederam neste século, são responsáveis por alterar as mais variadas concepções acerca das organizações sociais e interpessoais. Evidentemente, o mercado sofreu impactos que foram capazes de revolucionar o setor.
O consumidor, parte final referente ao ciclo comercial, também modificou comportamentos e hábitos drasticamente devido à inserção tecnológica nas ações de rotina. Reconhecendo a causa, as empresas declararam uma real necessidade de adaptação, o simples fato de colocar o cliente em foco já demonstra uma clara modificação de entendimentos.

Mais do que adquirir serviços e itens, o consumidor atual- denominado 4.0- exige experiências agradáveis e personalizadas. As companhias, visando garantir elevado grau de competitividade, carecem de acompanhar o frenético ritmo das mudanças, precisando assimilar as concepções que moldam as categorias de Indústria, Marketing e, do já mencionado, consumidor 4.0.
O produtor de conteúdo ou dono de website, ou mesmo quem quer começar a vida no mercado online, precisa apostar corretamente onde hospedar seu site. São várias opções concorrentes no Brasil, que recentemente recebeu a opção da MangoMatter Media
A integração cada vez mais intensa entre as plataformas físicas e digitais e a cooperação entre os meios produtivos, analisados minuciosamente por programas de gestão integrada, fornece aos gestores, independentemente do setor, um exame completo acerca das incessantes novas demandas. Mudança direta nos hábitos de consumoDecerto, as empresas se alteram à medida que o público-alvo se modifica. Essa noção, indubitável nos dias atuais, já foi inteiramente questionada, principalmente por administradores mais clássicos ??? os quais apresentavam teses de que o mercado é quem impõe as necessidades de consumo.Entretanto, as revoluções tecnológicas reestruturaram os padrões de comércio tradicionais. O consumidor passou a ter amplo acesso às informações de mercado, além do poder de aquisição, tendo extenso potencial para comparar preços, lojas, produtos e promoções, não necessitando, ao menos, de sair de casa para isso.  
As marcas, que antes investiam na desesperada busca identitária do cliente ??? por meio de posicionamentos e ações mais politizadas ???, estão sendo obrigadas a entregarem produtos diferenciados, específicos, alinhados à cultura empresarial e que resolvam, de maneira rápida, algum problema apresentado pelo consumidor.Um estudo realizado pela londrina PricewaterhouseCoopers (PwC) em 2018 demonstrou concretamente as novas tendências de consumo: 41% dos entrevistados garantem usar o smartphone para realizar compras. No Brasil, 57% revelaram não se importar com monitorações sobre históricos de transações e padrões de consumação, contanto que o varejista ofereça serviços personalizados. 
Definindo o consumidor 4.0Como explicitado anteriormente, o consumidor 4.0 é determinado pela utilização essencial da tecnologia nos processos comerciais. Ele possui acesso praticamente ilimitado às aplicações de rede, desdobramentos inerentes à Internet.
Com poucos cliques, o consumidor 4.0 pesquisa sobre determinado produto, compreendendo especificações técnicas, comparação de preços, lojas ??? inclusive internacionais ??? e adequação a exigências. Devido à extrema facilidade, associada à conveniência, qualquer falha pertinente ao processo de compra ??? demora no carregamento do site, por exemplo ??? já é motivo suficiente para o cancelamento do procedimento, e consequente migração para outra página.
As marcas, assim, precisam se adaptar à realidade dos clientes, e essa tarefa implica diretamente nos meios de comunicação. Inovação, presença consolidada e caráter multicanal são expressões essenciais que demonstram a necessidade de conhecer a fundo o consumidor 4.0.  Se antes as campanhas e intercomunicação eram realizadas unilateralmente, hoje elas ocorrem em tempo real, multifacetadas, atualizando-se constantemente.As empresas que compreenderam a dinâmica comercial contemporânea, incorporando a tecnologia e o cliente no ciclo de negócios, certamente são destaque perante a concorrência. 
Relacionamento com o novo consumidorA maneira ideal de corresponder às demandas e expectativas do consumidor 4.0 é tratando as questões de relacionamento com naturalidade, sem transparecer uma atmosfera de tática forçada.O cliente quer, acima de tudo, agilidade nas transações. Deve-se, então, proporcionar a ele uma troca de experiências compreensiva e empática, colocando as condições do comprador como foco direcional. Nessa prática, o emprego de programas e softwares de gestão integrada (ERP), em cooperação com outras plataformas de venda ??? BI, por exemplo ???, é fundamental para captar as intenções do consumidor e melhor atendê-lo.  
O investimento em satisfação é a chave para permanecer ativo entre a forte competição existente no mercado. O bom atendimento deve ir além de atendentes físicos e serviço de SAC eficaz, atingindo também os ambientes on-line, com a implementação de autoatendimento ??? chatbots e Unidade de Resposta Audível ??? e de comunicação interna ágil.
Priorizando a experiência individual e oferecendo múltiplos meios de interação entre marca e cliente, a empresa estará apostando em assistência qualificada e garantia de satisfação, a porta de entrada da fidelização.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE