Combate à dengue terá apoio público e privado

Em reunião realizada nesta terça-feira na sede da Secretaria Municipal de Saúde, representantes de várias entidades, públicas e privadas, se comprometeram junto aos secretários de saúde, Gleberson Miano, e o do Meio Ambiente, Odair Dias, a se engajarem nas ações de conscientização sobre a dengue, colaborando com uma força-tarefa para produção de material gráfico, mobilização social e apoio institucional que poderá viabilizar ajuda financeira para ações específicas contra a doença.
Além da Secretaria de Saúde e Meio Ambiente, a reunião contou com representantes da Diretoria Regional de Ensino, Corpo de Bombeiros, GPN-10 (Grupo Sociedade Organizada da Praia dos Namorados), Secretaria Municipal de Educação, Comdema (Conselho Municipal do Meio Ambiente), Secretaria de Obras e Serviços Urbanos e os convênios médicos, São Lucas Saúde, Unimed e Samaritano.
O coordenador da vigilância ambiental, Antônio Jorge da Silva Gomes, apresentou os dados atuais dos casos de dengue, bem como todas as ações que o município realiza por meio do PMCD (Programa Municipal de Controle da Dengue). Em seguida foram discutidas propostas para o enfrentamento da atual epidemia que vem causando aumento no fluxo de atendimento pré-hospitalar em decorrência do número de vitimas do mosquito Aedes aegypti.
Um exemplo desse aumento foi o número de pessoas atendidas no pronto-atendimento de um hospital particular, que alcançou a marca de 446 pacientes no prazo de 24 horas, aumento de 63% segundo um dos representantes dos hospitais particulares do município.  Já no serviço da rede pública o problema é ainda maior, considerando que no mesmo período o Hospital Municipal atendeu mais de 900 pessoas, segundo o secretário de Saúde, devido ao aumento na demanda causada em grande parte pelos casos de pessoas que procuram o serviço assistencial com sintomas da dengue.
Para o secretário de Saúde, a união dos diversos segmentos irá proporcionar ações efetivas no combate à dengue. Ele frisou, no entanto, que o combate precisa ser continuado e não apenas nos momentos de transmissão.  “Frisando que não é importante a gente combater só agora, foi até um apelo meu para que a gente mantenha esse contato contínuo, que a gente faça reunião, se mobilize, não só nesse momento, mas pra que isso [epidemia] também não ocorra no próximo ano”, destacou Gleberson.
Dia DVisando chamar a atenção das pessoas sobre os riscos da doença, a dirigente regional de ensino, Joseana Caltarossa Moreira, se prontificou em promover um dia de mobilização popular, o chamado “Dia D”. Para isso, a Diretoria Regional de Ensino irá contatar os diretores e professores das 80 escolas públicas e 34 particulares dentro de sua área de abrangência, que atualmente, segundo a dirigente, conta com aproximadamente 30 mil alunos.
De acordo com Joseana, a mobilização deverá ser realizada nos próximos 20 dias, considerando que será preciso fazer uma ampla divulgação e organizar o evento junto às instituições de ensino. A dirigente também propôs discutir nas escolas o descarte irregular de lixo e entulho, cujos criadouros do mosquito se concentram em grande parte nos locais de descartes, geralmente em terrenos baldios. 
Além da proposta de mobilização e conscientização, ficou definido que o grupo será permanente, inclusive com novos participantes. Também houve consenso de que será necessário estender o convite para os secretários de saúde de Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste, municípios limítrofes, cuja oferta de criadouros, e consequente proliferação do Aedes aegypti, não vislumbra barreiras físicas, sendo necessário agir de forma integrada para evitar que os esforços tornem-se inócuos. A próxima reunião ficou marcada para o dia 20 de maio, no mesmo local.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE