Coligações devem ficar de fora da eleição

A Comissão Especial da Câmara aprovou a PEC, Proposta de Emenda à Constituição, que proíbe as coligações partidárias e estabelece uma cláusula de barreira para as legendas terem acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de rádio e TV. A comissão alterou o texto a aprovou o fim das coligações já para próxima eleição. Na PEC que veio do Senado, só terminavam as coligações em 2020. O deputado do PTdoB, Silvio Costa, comemorou o fim das coligações. A Proposta agora pode ser votada no Plenário da Câmara já nesta quinta-feira. Com o fim das coligações, a PEC cria a Federação, onde os partidos podem se unir a nível nacional por, no mínimo, 4 anos. A relatora Shéridan, do PSDB, alterou o texto e criou a possibilidade de subfederações, onde os partidos de determinada Federação podem se reorganizar entre si nos estados para uma eleição. Para o deputado Hildo Rocha, do PMDB, as subfederações acabam sendo uma forma de manter as coligações, que são proibidas pela PEC. Os deputados favoráveis às subfederações argumentam que a mudança adapta o modelo às diferentes realidades locais dos partidos. A relatora Shéridan avaliou que se aprovou o que foi possível. Para os defensores da PEC, o fim das coligações e a cláusula de barreira têm como objetivo reduzir o número de partidos e melhorar a governabilidade.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE