Câmara estoura LRF e vai cortar privilégios

A Câmara de Santa Bárbara d’Oeste estourou a Lei de Responsabilidade Fiscal e hoje gasta 60% dos recursos com a folha de pagamento, chegando à casa de R$ 9 milhões anuais. Foi criada ontem comissão de estudos para cortes de gastos e de benefícios ao funcionalismo do Legislativo, principalmente funcionários concursados. Atualmente, a Câmara tem 63 servidores efetivos, e alguns com salários considerados bem altos. Compõem a comissão os vereadores Antonio Pereira (PT), Celso Álvila (PV), Felipe Sanches (PSC) e Bebeto do Romano (SD).
O grupo terá 30 dias para apresentar um plano de contenção de despesas, porque, hoje, as finanças do Legislativo estão no limite, agravadas com a queda de arrecadação. Segundo o presidente Juca Bortolucci (PSDB),
“Pedi a suspensão da sessão e a reunião porque fui informado que teremos que economizar R$ 280 mil por ano, senão as finanças da Câmara vão entrar em colapso”, disse o vereador Antonio Pereira, acrescentando que direitos adquiridos pelos servidores serão preservados. “Não queremos prejudicar ninguém”, disse.
Entre os benefícios, que podem ser alvos de cortes da comissão, estão incorporação de funções gratificadas ao salário, bolsa escola, bolsa creche, vale transporte, entre outros. Uma nova reforma administrativa deverá contemplar mudanças no plano de cargos, carreiras e salários do funcionalismo do Legislativo barbarense. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE