Carne suína ganha espaço e chega a custar 1/3 da carne bovina

Segundo dados do IBGE, a carne bovina está entre os 10 alimentos mais consumidos no Brasil. A alta demanda interna pelo produto, em relação ao aumento expressivo em seu preço durante as últimas semanas, criou um sinal de alerta à economia nacional e, principalmente, ao bolso das famílias brasileiras. Entretanto, economistas apontam não existir uma solução visível a curto prazo para o problema, que já alcançou uma alta de 35% até o momento.

De acordo com Pedro Salanek, economista e professor do ISAE Escola de Negócios, a alta da carne está relacionada a três fatores principais: aumento da demanda interna, principalmente devido a proximidade dos eventos de final de ano; alta do dólar, tornando a exportação algo mais interessante aos olhos do produtor; e questões operacionais por parte do pecuarista, que vem enfrentando problemas com a seca e com a diminuição de animais para o abate, decorrente da crise que começou em 2013.

Para quem quer economizar na hora das compras, a indicação é direcionar o consumo para outros alimentos, como a carne suína. ???O mercado de carnes funciona dentro de uma relação de oferta e demanda, e quando aumenta um produto é tendência que o consumidor se adapte a outro???, aponta Salanek. Os cortes suínos mais consumidos pelos brasileiros, como o pernil e o lombo, estão custando apenas 1/3 do valor quando comparados ao mesmo tipo de corne bovino, por exemplo.

Oportunidade de negócio

Segundo dados de 2018 da Associação Brasileira de Proteína Animal, o Brasil é o 4º maior produtor de carne suína do mundo, totalizando aproximadamente 3,76 milhões de toneladas da proteína, além de ser também o 4º maior exportador mundial, com 967 mil toneladas vendidas para países estrangeiros. Em maio deste ano, a exportação da carne suína brasileira cresceu em 41%. Em receita, as vendas atingiram US$ 143,8 milhões, alta de 54,6% sobre os US$ 93 milhões registrados no mesmo mês do ano passado.

Na contramão da crise com a carne bovina, empreendimentos chamam a atenção do público com preparos acessíveis que levam carne suína como protagonista. E o melhor, não sofrem o impacto da alta dos últimos dias. ???A carne suína voltou a ser uma tendência entre os consumidores, por isso apostamos em preparos desenvolvidos com receitas exclusivas e muita excelência sem deixar de lado os preços acessíveis???, aponta José Araújo Netto, fundador da rede Porks ??? Porco & Chope, empreendimento curitibano especializado em carne de porco, que conta hoje com 10 unidades espalhadas por quatro estados brasileiros.

No cardápio do Porks ??? Porco & Chope, o público encontra, por exemplo, hambúrgueres e lanches à base de carne de porco, a preços acessíveis, na faixa de R$ 10. Atualmente, a rede comercializa 10 toneladas de carne suína por mês e, até o final de 2020, pretende aumentar este número com a abertura de dez unidades na capital paulista. ???Além de ser um ótimo modelo de negócios, o Porks se transformou em uma opção democrática para o consumo de carnes suínas de altíssima qualidade, desenvolvendo um mercado em franca expansão no Brasil, e livrando um pouco os brasileiros dessa dependência da carne bovina???, completa Araújo Netto.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE