Calvície feminina e masculina. Veja as diferenças?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia Clínico Cirúrgica (SBDCC) 80% dos homens com até 70 anos ainda vão apresentar algum sinal de calvície. Já entre as mulheres, 40% também podem ser atingidas por esse problema em algum momento da vida.

A principal causa da calvície é a ação do hormônio DHT (dihidrotestosterona), que devido à uma característica herdada geneticamente, age internamente nos folículos capilares levando a um afinamento progressivo dos fios e a um encurtamento do ciclo capilar. Assim, os cabelos ficam com o comprimento cada vez mais curto, com crescimento mais lento e com queda acentuada.

A herança genética pode ser materna ou paterna, sendo que atualmente mais de 300 genes já foram relacionados à calvície. Por ter esse caráter poligênico e também depender de fatores ambientais, muitas vezes a doença pode ter quadro imprevisível. A avaliação individual e histórico pessoal são mais relevantes para avaliar a probabilidade de progressão.

Os padrões da calvície nos homens e nas mulheres são diferentes. Geralmente, no público masculino, a queda capilar se inicia nas entradas ou no vértex, e tem a tendência a acometer todos os fios da região, formando áreas calvas bem evidentes. Já nas mulheres, o quadro costuma acontecer de forma difusa e lenta. Ocorre afinamento e rarefação que poupa alguns fios, deixando o couro cabeludo mais visível e os cabelos sem volume. O padrão feminino da calvície pode ser de percepção mais difícil, já que que não causa aumento na queda capilar diária.

Segundo o Dr. Thiago Bianco, tanto entre as mulheres como entre os homens, as falhas no couro cabeludo podem ter origens genética, hormonal ou simplesmente ser uma consequência da idade (embora exista calvície precoce) e do estilo de vida. Então se você tem uma falha ou entradinha no cabelo, calma! Nem sempre isso quer dizer que é calvície. Caso o problema seja frequente e aos poucos os fios de cabelo comecem a cair e as falhas fiquem maiores, é interessante procurar um especialista para avaliação.

“É muito importante lembrar que a queda de cabelo acontece por inúmeros motivos e perder alguns fios não quer dizer que você está ficando careca. Geralmente, os primeiros sinais podem aparecer entre os 17 e 25 anos. Não há regra e cada organismo é de um jeito, mas pessoas que já tem histórico familiar de calvície possuem mais chances de desenvolver o mesmo, “alerta o especialista em Transplante Capilar.

 

Dr. Thiago Bianco, Cirurgião Capilar, Médico expert em transplantes capilares – CRM-SP: 125.407– Pioneiro na técnica FUE (Follicular Unit Excision), é um dos maiores especialistas em giga sessões com densidade extrema, tornando-se conhecido mundialmente por suas cirurgias. Dr. Thiago Bianco foi graduado em Medicina em 2006, e especializou-se em cirurgia geral e trauma, além de direcionar sua carreira para a área de implante capilar. Membro titular da ISHRS (International Society of Hair Restoration Surgery), atualmente realiza um trabalho pioneiro com as técnicas de FUT (Follicular Unit Transplant) e FUE (Follicular Unit Extraction) para o transplante capilar de barba e de sobrancelha

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE