Brasileiro estreia na Fórmula 2

A Fórmula 2 concluiu a abertura da temporada 2020 neste final de semana com o Grande Prêmio da Áustria, no Red Bull Ring, localizado na cidade de Spielberg. A categoria de acesso à Fórmula 1 teve duas corridas – uma no sábado (4), com vitória do britânico Calum Ilott, da UNI-Virtuosi, e outra neste domingo (5), na qual o brasileiro Felipe Drugovich, da MP Motorsport, saiu como o grande vencedor.

Um grid de alta qualidade, com pilotos experientes e estreantes que vieram do passo imediatamente anterior à F2 – a Fórmula 3, que corre nas mesmas pistas nos mesmos finais de semana e com dinâmica de pneus similar. O final de semana marcou o fim de um hiato de 14 meses sem participar de uma prova oficial para Guilherme Samaia. O brasileiro, duas vezes campeão brasileiro de F3 (Light e principal), não passou pelo FIA F3 e é o único piloto do grid a não ter feito o passo anterior à F2.

Assim, a rodada dupla de abertura do campeonato foi recheada de aprendizados e novas experiências para o paulistano de 23 anos. Samaia, um dos três brasileiros da categoria, classificou-se em 19º no grid e concluiu as duas corridas em 16º e 15º, respectivamente, cumprindo o objetivo de terminar as provas do final de semana pela equipe espanhola Campos Racing.

“Aprendi muito durante este final de semana. Cometi alguns erros, fui cauteloso em alguns momentos em relação aos pneus, mas aos poucos fui entendendo a categoria e seus procedimentos. Não foi a estreia que eu gostaria, mas o objetivo foi cumprido, que era terminar as duas corridas. A curva só tende a subir, cada vez mais entendendo e melhorando em alguns pontos e desenvolvendo outras”, destacou Guilherme.

O piloto, ciente dos desafios e do aprendizado à sua frente, tratou de tentar superar os obstáculos e em alguns momentos evitou riscos para cumprir seu objetivo. Da corrida do sábado (4) para a deste domingo (5), já pôde aplicar um pouco da experiência adquirida – principalmente na largada. “No domingo fiz uma largada melhor, mas não consegui espaço na primeira curva e cheguei a sair da pista, perdendo velocidade”, narrou. “Os momentos iniciais das corridas são fundamentais na questão dos pneus, porque acabei sendo até um pouco conservador pensando em não degradá-los muito e ter um desempenho uniforme da borracha durante a prova toda, e depois percebi que dava para forçar o ritmo um pouco mais; no final eu estava mais rápido que o grupo de pilotos imediatamente à minha frente, mas já não havia muito o que fazer”, lembrou o piloto da Campos.

“O principal é entender melhor os pneus e suas variações, e acho que daqui para a frente a tendência é melhorar – ainda mais porque já correremos de novo no próximo final de semana e na mesma pista, e isso é muito bom para continuar crescendo”, concluiu.

A Fórmula 2, assim como a Fórmula 1 e a F3, permanecem na Áustria para a segunda rodada da temporada no próximo fim de semana – desta vez renomeado como GP da Estíria, em referência à região onde fica a cidade de Spielberg e, assim, o Red Bull Ring.

Saiba mais em: www.fiaformula2.com
Instagram Guilherme Samaia: www.instagram.com/gsamaia

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE