Bolsonaro imita Maduro na defesa da cloroquina

Apesar de mergulhados em uma crise diplomática, com direito a troca de acusações, os governos de Brasil e Venezuela não estão em campos opostos quanto à defesa aberta do uso da cloroquina no combate à pandemia do novo coronavírus.
Tanto Jair Bolsonaro quanto Nicolás Maduro são entusiastas do medicamento – apesar de seus fortes efeitos colaterais e de sua eficácia ainda não ter sido confirmada cientificamente. Embora haja consenso sobre a substância, os dois líderes têm posicionamentos contrários em relação ao isolamento social.
Enquanto Bolsonaro é contra o confinamento da população, Maduro decretou o lockdown na Venezuela. “Entre quarentena e produção, não há contradição”, disse o venezuelano na quarta-feira (13) quando renovou por mais um mês o decreto de Estado de emergência.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE