Autorizado reajuste na tarifa de água em NO

A ARES-PCJ (Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí) autorizou reajuste nos valores das tarifas de água e esgoto solicitado pela Coden (Companhia de Desenvolvimento de Nova Odessa). A partir da leitura em abril, com as contas vencendo em maio, a tarifa de água será reajustada em 5,51%.
A Agência Reguladora emitiu parecer consolidado após analisar as projeções e investimentos da Companhia, além de utilizar critérios estabelecidos por cálculo de uma Fórmula Paramétrica. O documento foi deliberado e aprovado na semana passada em reunião pelos membros do CRCS (Conselho Municipal de Regulação e Controle Social).
As despesas com energia elétrica, incluindo instalações administrativas e operacionais (estações de tratamento de água, estações elevatórias e bombeamentos, por exemplo), subiram 50,65% comparando-se 2015 com 2014. Houve sucessivos aumentos na tarifa do serviço a nível nacional, fazendo a Coden gastar quase R$ 800 mil a mais no ano passado.
Já os custos com materiais (produtos químicos, materiais de consumo e combustíveis) tiveram aumento de 27,22% no mesmo período. Ou seja, a elevação do valor da energia elétrica no país acabou encarecendo indiretamente a despesa da Companhia com materiais, porque os insumos também sofreram elevação no preço de aquisição.
A inflação acumulada em 12 meses, entre fevereiro de 2015 e janeiro de 2016, medida pelos indicadores do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), foi de 10,71% pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) e 11,31% pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).
O cálculo da ARES-PCJ atestou defasagem tarifária de 8,54% de maio a novembro do ano passado em Nova Odessa. O novo valor da tarifa de água, 5,51%, e da cobrança do esgotamento sanitário, que passa de 90% para 100% do valor total referente, será aplicado a partir do consumo de abril, cujas contas possuem vencimento no mês de maio.
O reajuste autorizado pela ARES-PCJ em 2015 foi de 3,96%. No final do ano passado, liberou uma revisão extra da tarifa em 9,35%, para compensar principalmente o aumento das despesas de energia elétrica e a elevação dos insumos usados no tratamento de água. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE