Atropelamentos fatais caem 50% em Sumaré e Nova Odessa

Imagem ilustrativa

O número de mortes por atropelamento nos trechos entre Sumaré e Nova Odessa das rodovias Anhanguera e Bandeirantes teve uma queda de 50% no ano passado, segundo dados da CCR AutoBAn, concessionária que administra o sistema. Foram dois óbitos no ano passado, diante de quatro em 2019. O volume de acidentes também diminuiu: nove ocorrências em 2020 e dez em 2019 – redução de 10%.

 

O caso fatal mais recente ocorreu na noite de 14 de fevereiro, quando uma mulher de 39 anos foi atropelada no quilômetro 110 da Rodovia Anhanguera. Ela voltava para casa com o marido, que resolveu parar no acostamento para socorrer jovens envolvidos em um capotamento. A cidadã acabou atingida quando atravessava a rodovia e não resistiu.

 

A redução pode estar associada a investimentos da concessionária em obras e ações para ampliar a segurança nas rodovias. Desde que assumiu a gestão do Sistema Anhanguera-Bandeirantes, a AutoBAn afirma já ter construído 28 passarelas para travessia de pedestres e ter recuperado outras 26. A maior parte está na Anhanguera, que passa por trechos de maior concentração urbana.

A empresa ainda costuma realizar campanhas de conscientização. No último dia 10, profissionais da concessionária realizaram uma ação de incentivo ao uso de passarelas, na altura do quilômetro 113 da Anhanguera, em Sumaré. Foram distribuídos folhetos e promovidas conversas com pedestres e ciclistas sobre os riscos de atravessar a rodovia e visitas a comércios nas margens da rodovia para o esclarecimento de dúvidas.

 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE