Edit

Artigo Preso no tempo

?? curioso lembrar que um filme que trata de um personagem preso no tempo esteja comemorando 25 anos. ?? o caso de ‘Groundhog Day’ (‘O Feitiço do Tempo’, de 1993), dirigido por Harold Ramis e estrelado por Bill Murray e Andie MacDowell. ?? curioso lembrar que, inicialmente recebida com frieza, a obra se tornou clássica e respeitada.

O enredo se passa em Punxsutawney, Pensilvânia, EUA. O protagonista é um arrogante meteorologista de TV escalado para a cobertura do tradicional Dia da Marmota (2 de fevereiro), em que todos esperam a saída do animalzinho de sua toca para saber a duração do clima de inverno.
O repórter fica, contudo, preso nesse dia, repetido infinitamente. Apenas ele percebe a própria situação enquanto todos fazem exatamente a mesma coisa. O inusitado dessa experiência faz com que ele inicialmente busque tirar proveito em benefício próprio pela vantagem estratégica de conhecer “com antecipação” os fatos daquele dia. Porém, para conquistar o que mais deseja, o coração da produtora de sua equipe, só há um caminho: tornar-se uma pessoa melhor.
Atingido com sinceridade esse objetivo, o jornalista liberta-se do feitiço inexplicável segue a vida ao lado de quem ama. Existe no filme, portanto, uma moral edificante. A repetição leva à aprendizagem de modo a atingir um crescimento pessoal. ?? claro que é difícil saber se a tese é verdadeira ou não. De qualquer modo, 25 anos depois, a obra obteve êxito, permanece atual e inesquecível, o que é um alento.
Oscar D’Ambrosio, mestre em Artes Visuais e doutor em Educação, Arte e História da Cultura, é Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Méicas da Santa Casa de São Paulo.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE