Artigo- Biometria nas maternidades: vitória das famílias

Um método de identificação mais eficiente de recém-nascidos é crucial para evitar crimes contra as famílias, que ainda ocorrem com frequência em nosso país. Fiquei muito feliz com a aprovação de projeto de lei que apresentei na Assembleia Legislativa que trata sobre a implantação do sistema biométrico de identificação de recém-nascidos nos hospitais e maternidades públicos e privados do Estado de São Paulo.

Espero que o governador Geraldo Alckmin tenha sensibilidade a respeito do assunto e sancione essa lei, que tem como propósito evitar as trocas de bebês nos hospitais, o tráfico e adoções ilegais. 
O atual sistema de coleta de desenhos papilares dos pés com tinta não é eficaz o suficiente para evitar esses crimes, já que a coleta muitas vezes inviabiliza a leitura técnica dos desenhos. Com a proposta de implantação da biometria pretendemos criar um sistema de identificação com maior eficácia do que o atualmente em vigor.
Outros estados já estão adotando este importante sistema como Santa Catarina, Paraná e Pernambuco. Em Minas Gerais também há uma proposta semelhante. O objetivo do projeto é que a implantação desse novo sistema sirva como importante fator de prevenção na resolução de casos de subtração e troca de bebês nas maternidades, podendo inclusive auxiliar nos casos de abandono de recém-nascidos. 
Essa tecnologia deve reduzir também os casos de tráfico e roubo de bebês no Estado, já que, ao deixar a maternidade, a mãe passará por um identificador biométrico que irá informar se o bebê que ela leva é, de fato, o seu. Outro benefício é que a colocação de equipamentos de biometria das impressões digitais aliada ao banco de dados de recém-nascidos em aeroportos e rodoviárias facilitará a identificação da pessoa que acompanha um bebê ou uma criança, em qualquer viagem, coibindo crimes contra eles. 
A implantação da biometria será uma grande evolução em relação à segurança das mães e seus filhos. ?? fato que toda mãe, quando vai à maternidade para dar à luz, carrega um grande medo de que seu filho seja trocado ou roubado. A utilização da tecnologia hoje disponível dará garantia às mães de que o bebê que está em seus braços ao sair da maternidade é realmente seu. Uma vitória para as famílias. 

** Chico Sardelli é deputado estadual pelo PV e primeiro vice-presidente da Alesp

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE