Após sexo a 3, turista é feita refém e estuprada

Uma turista holandesa foi estuprada 62 vezes e torturada durante seis semanas em um hotel na cidade de Melbourne, na Austrália. O caso, ocorrido no final de 2012, começou a ser julgado nesta sexta, com um total de 179 acusações contra o casal suspeito pelo crime, entre elas detenção de pessoa, ameaça de morte, violação e agressão.

De acordo com a imprensa australiana, a europeia, de cerca de 20 anos, conheceu o casal Alfio Anthony Granata, de 46 anos, e Jennifer Peaston, 32, em uma festa no bairro de Santa Kilda. A vítima admite que consensualmente aceitou fazer sexo com os dois e utilizou drogas na noite em que foi feita refém, em novembro de 2012.
Ao todo foram seis semanas até que a holandesa fosse libertada, pouco após tentar se suicidar na véspera de Natal. 
Cerca de 450 horas de provas em vídeo foram produzidas e indicam que a vítima permaneceu a maior parte dos dias amarrada e com os olhos vendados, sujeita a estupros e agressões físicas. Ainda segundo a investigação, ela foi alimentada apenas com restos de alimentos.
De acordo com o depoimento da europeia, cuja identidade não foi divulgada em nenhum momento, Anthony Granata teria realizado “estranhos rituais” durante o cativeiro e, após agredi-la pela primeira vez, recolheu seu sangue, pedaços de unha e cabelos para guardar em um envelope.
Do Terra.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE