Aprenda a dizer não pelo bem do seu cão

Chocolate, leite e abacate são apenas alguns dos alimentos proibidos para os cães. A especialista da Hercosul Alimentos, Paula Genuíno, aborda o assunto e explica os riscos desses produtos para a saúde dos animais.

Os animais sabem como ganhar o dono com apenas um olhar, não é mesmo? Na hora da refeição, por exemplo, muitos cães acabam levando o pedaço da carne do almoço ou o chocolate do lanche da tarde.
Porém, a especialista em Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos da Hercosul Alimentos, Paula Genuíno, alerta para os riscos de certos alimentos para os animais e dá algumas dicas de como resistir ao olhar pedinte do pet nessas ocasiões.
“Sabemos que os bichos de estimação são como membros da família, sendo tratados como assim até na hora da comida. No entanto, oferecer alguns alimentos ao pet é perigoso e pode causar sérios problemas à saúde desses animais”, diz Paula.
A especialista explica que toda a estrutura biológica dos cães não se assemelha a dos humanos. Ou seja, muitos dos alimentos que o dono come são tóxicos para o seu bichinho. “Estamos falando de algo muito importante e que poucas pessoas sabem. O chocolate, por exemplo, é muito toxico para os cães”, conta. 
Além de vômito e diarreia, os casos mais graves afetam o sistema neurológico do animal, podendo causar a morte do mesmo.
Confira alguns alimentos proibidos para os cães:
Chocolate
Como dito antes, o chocolate é prejudicial para os animais, pois possui em sua composição uma substância chamada teobromina, um estimulante bastante toxico para os cães. “Ainda que o doce seja oferecido em doses pequenas, ele pode causar problemas neurológicos, cardíacos e renais para o pet. O problema pode aparecer entre quatro e 24 horas após ingerir o alimento. Ao primeiro sinal de náusea, diarreia e tremores, em alguns casos até mesmo crises convulsivas, leve o animal ao veterinário”, indica.
Cebola
O estômago e o intestino dos cães não lidam bem com alguns vegetais, inclusive a ingestão desses pode causar sérios danos às células sanguíneas. A cebola possui substâncias que podem causar crises hemolíticas e os sinais clínicos que podem ser observados  envolvem  problemas respiratórios e icterícia intensa.  “Alguns sinais de envenenamento surgem dias depois e o tutor pode não ligar uma coisa a outra, mas é importante ficar atento e nunca oferecer cebola, não importando se está crua, cozida ou misturada a outros alimentos”, completa.
Abacate
Por ser uma fruta saudável para o ser humano, muitas pessoas acreditam que o abacate também faz bem para o pet. Porém, a substância Persina – encontrada principalmente nas folhas e semente do alimento, podem causar vômito, diarreia e deixar o animalzinho apático.
Leite e derivados
A maioria dos cães tem uma certa intolerância à lactose, embora pareça que não, pois eles adoram o leite. “O leite pode provocar em alguns cães dores abdominais, além de vômito e diarreia e a regra é a mesma para os derivados do leite: queijos, iogurtes e tudo o que tiver lactose pode causar problemas para o pet”, conclui a especialista.
Carnes cruas
Qualquer alimento cru, incluindo carnes, pode causar intoxicação, pois há grandes chances de estarem contaminadas com algum tipo de bactéria ou parasita. Além disso, existe sempre o perigo de filhotes se engasgarem com pedacinhos de ossos que podem causar , em casos mais graves, lesões e perfurações em órgãos.
O alimento ideal
A Dra. Paula explica que há algumas saídas para quem quer agradar o pet de vez em quando. “Frutas como maçã, banana, pera, caqui e goiaba podem ser oferecidas ao animal como um agrado, mas em poucas quantidades e sem que isso vire rotina. O mercado oferece uma série de snacks feitos para os animais e o ideal é oferecer esses itens como petisco”, aconselha.
Para manter seu pet saudável e bem disposto, uma alimentação balanceada é muito importante. “Escolha uma alimento industrializado de qualidade, feita com produtos frescos e naturais. A diferença desse tipo de alimentação para a comida feita em casa também é a quantidade exata de proteínas, vitaminas e minerais que os animais precisam”, revela.
O pet precisa se desenvolver para que a manutenção da saúde seja positiva. “A dica é simples e funciona: não substitua as refeições do seu cão com petiscos ou qualquer outro alimento”, completa.
Tudo bem se o cãozinho for parte família, mas não esqueça que ele tem necessidades diferentes e precisa de cuidados especiais para crescer forte e cheio de vitalidade. “Muito amor, diversão e brincadeiras fazem um animal feliz. E uma alimentação balanceada e adequada é que farão dele um animal saudável”, conclui Paula.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE