Análise: Como fica Sumaré pós Odebrecht

O quadro político de Sumaré vinha se estabilizando após o TSE ter garantido o governo para a prefeita Cristina Carrara (PSDB) no final do ano passado. Com isso, havia a tendência para um embate entre Cristina, o PT do ex-deputado Professor Tito, o grupo do ex-prefeito Dirceu Dalben (PPS) e algum vereador mais corajoso.  
Mas o quadro mudou e pode ser mais instável caso adversários consigam trazer para o debate a citação de Cristina e Tito em planilhas da Odebrecht vazadas na semana passada em São Paulo. Cristina já negou qualquer ato ilícito, mas a participação ao menos do nome Odebrecht no DAE privatizado serve como ‘uma pinta em um dálmata’ para as críticas à prefeita.
QUEM VAI GANHAR? Alguns nomes surgem no cenário mais instável. O vice prefeito rompido e com o sobrenome Dalben tem chances de ocupar muito espaço. Já entre os vereadores também cresce a chance de surgir um novo nome para acelerar a política e criar um novo grupo político.    

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE