Edit

Amigos doam 3,8 mil pra UAD

O que era para ser uma comemoração comum de aniversário acabou se transformando numa mobilização comunitária em prol de pacientes acamados, atendidos pela UAD (Unidade de Atendimento Domiciliar) da Secretaria de Saúde de Americana. Ao invés de presentes, Jânio de Souza e Rosângela Pracidelle decidiram pedir fraldas geriátricas aos amigos na confraternização do aniversário, que ambos comemoraram no dia 6 de março. O resultado foi uma caminhonete abarrotada com 3.800 unidades de fraldas que agora serão distribuídas a usuários carentes.
 A ideia que motivou o casal de amigos a essa mobilização partiu do técnico de enfermagem da UAD, Adilson Rogério da Silva, que também colaborou com a festa e na coleta dos produtos. “Esse movimento deve ser multiplicado por todos, com novos entusiastas dentro da comunidade, pois são essas pessoas que agregam um valor real ao próprio município”. Comentou Silva. O técnico de enfermagem integra um grupo de corredores esportistas, e foi justamente nesse grupo que acabou se tornando amigo do aniversariante Jânio de Souza, com quem compartilhou a iniciativa do aniversário solidário. Aproveitando que Rosângela Pracidelle completaria mais um ano de vida no mesmo dia, para que a ideia se transformasse numa espécie de corrente do bem bastou organizar a festa, enviar os convites e receber os presentes, nesse caso, centenas de pacotes de fraldas. O profissional, que se sente agraciado em poder ajudar o próximo, faz um apelo a todos os segmentos da sociedade para que promovam iniciativas semelhantes. Segundo ele, existe entre as pessoas uma corrente de energia positiva, que algumas captam e direcionam para seu semelhante. “Eu fiquei bastante emocionado com a iniciativa desses amigos, todos deveriam seguir o exemplo deles, porque isso é muito gratificante”, sugeriu. Uma rotina de dependência Os pacientes acompanhados pela UAD são aqueles que perderam totalmente a mobilidade e autonomia em consequência de algum tipo de acidente, doença crônica ou degenerativa, AVC (acidente vascular cerebral) e em fase terminal de câncer. Dos 305 assistidos atualmente, dezenas fazem uso constante de fralda, porém, 25 deles possuem renda mensal comprometida apenas com o básico para a sobrevivência. Como não existe nenhuma obrigatoriedade do poder público em fornecer esse tipo de insumo para esses pacientes, muitas famílias acabam recorrendo à justiça, a fim de garantir que o município disponibilize gratuitamente o produto. Para a enfermeira coordenadora da unidade, Silvana Alves Teixeira, a quantidade de fraldas recebida durante o evento será suficiente para suprir esses 25 usuários, por um período de aproximadamente quatro meses. “Nós fazemos um filtro social pela avaliação dos prontuários, para saber quem realmente não tem condições de comprar; então separamos e fazemos a distribuição durante as visitas de rotina”, explicou Silvana.               De acordo com a Secretaria de Saúde, o município gasta em torno de 6 mil reais na compra de fraldas para pacientes acamados. Atualmente existem 28 processos de ações judiciais determinando a compra mensal desse gênero de higiene, muitas delas exigindo marca do fabricante específica. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE