Americana tem mais de 30 mil consultas/exames “na fila”

O vereador de Americana Gualter Amado (Republicanos) apresentou, nesta quinta-feira, durante a sessão na Câmara Municipal, uma listagem da secretaria de saúde que traz 31.212 procedimentos – exames e consultas – aguardando na fila de espera. A lista foi entregue aos vereadores em uma reunião no gabinete do prefeito Chico Sardelli (PV) nesta quarta-feira.

Gualter falou da expressiva fila de espera durante a discussão do projeto de autoria do poder executivo que permite Americana a participar de um consórcio de saúde. A participação no consórcio foi uma maneira encontrada pelo poder executivo de reduzir a fila de espera das especialidades, uma vez que a cidade segue impedida de realizar concursos públicos após as demissões ocorridas no ano de 2017, no governo do ex-prefeito Omar Najar (MDB). O projeto foi aprovado pelos vereadores em primeira discussão nesta quinta e será votado, em segunda discussão, na próxima segunda-feira, em caráter extraordinário.

“O Consórcio é uma importante arma para que o corpo de profissionais da nossa saúde seja reforçado, sobretudo no que se refere às especialidades. A iniciativa é fundamental para que, na nossa estrutura, haja profissionais de áreas em que se faz tão necessário maior atendimento”, explicou o secretário da Saúde, Danilo de Oliveira.

O Consórcio é composto por 17 municípios da região, sendo a maioria composta por municípios da RMC e Americana foi aceita para fazer parte do grupo Norte, estabelecido pelos municípios de Artur Nogueira, Cosmópolis e Holambra. O programa permitirá que a prefeitura de Americana contrate exames e consultas de especialidades, maior deficiência do município atualmente. De acordo com a exposição de motivos da proposta, a participação no consórcio busca efetividade nos seguintes itens:

  • programas de saúde da família;
  • programas de triagem e encaminhamento à rede hospitalar regional;
  • programas de atendimento regional em especialidade médicas, procedimentos de média complexidade e internações, com ênfase para a população de baixa renda;
  • serviços de diagnóstico laboratorial e por imagem;
  • outros programas de saúde de interesse para os municípios consorciados;
  • ações articuladas de planejamento do desenvolvimento dos serviços de saúde regionais, criando mecanismos conjuntos para consultas, estudos, execução fiscalização e controle de atividades que interfiram na qualidade da saúde pública;
  • desenvolvimento de serviços e atividades de interesse dos consorciados, na área da saúde, de acordo com programas e contratos aprovados pela Assembleia Geral.

 

 

 

 

 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE