Americana. Pref volta a ter selo de ‘bom pagador’

Americana obteve sua regularização em janeiro deste ano junto ao CADIN  Estadual (Cadastro Informativo dos Créditos de ??rgãos e Entidades Estaduais).  O Certificado de Regularidade para Celebrar Convênios estava suspenso desde janeiro de 2015. Notificada da situação em agosto de 2015, a Prefeitura  realizou gestões para regularizar as pendências na prestação de contas de convênios firmados pelas secretarias de Planejamento, de Esporte, Lazer e Juventude e de Habitação nos anos de 2007, 2009 e 2010.
???Um grande esforço das nossas unidades de Convênios e Fazenda. Trabalho que culminou com a saída do município da relação de cidades inadimplentes, da Secretaria da Fazenda do Estado???, comemorou o vice-prefeito, Roger Willians, que participou das negociações junto ao Estado.  ???Hoje nossa administração é ficha limpa, graças à política de austeridade do prefeito Omar Najar desde o dia que assumimos???, acrescentou. Roger lembra que agora, Americana fica liberada para receber os depósitos de convênios com os governos estadual e federal. Recentemente, a Administração Municipal obteve certidão de regularidade junto ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e ao INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social).
Segundo a Secretaria de Planejamento do município, gestora dos convênios, o CADIN apontou pendências em  convênios firmados pela administração anterior.  Em relação à reforma do conjunto de piscinas do Jardim São Pedro, cujo convênio  foi firmado em 2007, o órgão estadual  apontou uma diferença de R$ 2,62 a menos entre o orçamento de R$ 257.266,84 e o que foi executado, que indicou o valor de R$ 257.264,22. Através de ofício, a Prefeitura prestou esclarecimentos informando que a diferença de R$ 2,62 na prestação de contas ocorreu em virtude da variação de arredondamento do contrato com a empresa que executou a obra.
Por sua vez, a prestação de contas de um convênio celebrado em 2009 também teve as pendências solucionadas junto ao CADIN, após as correções apontadas pelo órgão. Os recursos do repasse estadual de R$ 215 mil se destinavam à conclusão de 38 unidades habitacionais no Jardim da Mata, região da Praia Azul, com verba do Fundo Estadual da Habitação. A primeira parcela foi liberada em 25 de março de 2014, no valor de R$ 124,7 mil. No entanto, a segunda parcela de R$ 90,3 mil não foi liberada, devido a pendências na prestação de contas da primeira parcela do convênio.
Outra pendência regularizada é relativa à prestação de contas da segunda parcela do convênio de 2010 para reforma e revitalização de praças e avenidas ??? reurbanização da Avenida Antônio Pinto Duarte, no valor de R$ 879,7 mil, de 2013. Em ofício, a Prefeitura informou que a obra foi concluída.  ???Contudo, houve movimentação financeira  irregular no valor de R$ 234 mil, no período de 4/7/2013 a 30/12/2014, referente à segunda parcela liberada em 17/6/2013, sendo os valores transferidos para a conta movimento geral desta Municipalidade, para pagamentos de despesas correntes e outras, o que é vedado pelas normativas que regem a matéria em questão???, justifica o ofício.
Uma vez que a obra foi concluída, o governo do Estado está analisando os argumentos apresentados pela Administração Municipal  para o não ressarcimento da importância da segunda parcela do convênio.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE