Americana fica só com a cartolagem do Basquete Feminino

Imagem de quando o basquete tinha peso na cidade

Sem ter um time de basquete feminino desde julho de 2017, Americana ficou somente com representatividade na cartolagem do esporte. Depois que Unimed e prefeitura abandonaram o projeto, ficou somente o endereço sede da LBF/Liga de Basquete Feminino na cidade, na rua Achiles Zanaga, 30, vila Medon. O presidente da Liga é o empresário Ricardo Molina, que se arriscou na política sem sucesso em 2018 e 2020.

FRACASSO POLÍTICO- O time de basquete feminino de Americana deixou de existir em julho de 2017. O time era o maior vencedor da modalidade nos últimos 20 anos – com títulos estaduais, brasileiros e sul-americanos – e esgotou as conversas com a prefeitura municipal, que ajudava a financiar.

FRACASSO POLÍTICO 2- O presidente da LBF tentou uma vaga na Câmara dos Deputados em 2018 e ficou com uma suplência alta, tendo pouco mais de 6 mil votos na cidade. Mas em 2020 ele insistiu em tentar carreira política, primeiro lançando o nome como pré-candidato a prefeito pelo Republicanos, depois desistindo e saindo candidato a vice na chapa encabeçada pelo então vereador Rafael Macris/PSDB. A dupla naufragou ficando em terceiro lugar na eleição vencida por Chico Sardelli/PV.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE