Alunos da Emei Aracati participam de oficina de jardinagem

O contato com a terra ajuda no desenvolvimento físico, mental e intelectual da criança. Com esse objetivo, foi realizada na Emei Aracati, da Vila Gallo, na manhã de terça-feira (25), a oficina “Jardinagem para crianças ??? A horta da Lelê” com o paisagista Fagner Zanetti. A intenção é dar oportunidade aos alunos, de quatro e cinco anos de idade, de cultivar hortas 100% orgânicas em garrafas plásticas do tipo PET.

A oficina de jardinagem para crianças faz parte do projeto “A Horta da Lelê”, mesmo nome do primeiro livro de Zanetti, lançado em dezembro do ano passado, pela editora Adonis. “?? o primeiro livro infantil de jardinagem no Brasil. Com o livro veio a oficina”, afirmou. Segundo ele, a ideia é incentivar as crianças a mexer na terra, despertar a curiosidade e o gosto pelo cultivo de plantas e flores, além de promover conscientização em relação ao reaproveitamento de materiais e preservação do meio ambiente, bem como o incentivo à alimentação saudável. Fagner Zanetti é paisagista há mais de dez anos. Em 2012 diversificou sua atividade e passou, também, a ensinar jardinagem e paisagismo.

“O meio ambiente faz parte do currículo da escola e, agora, no segundo semestre, estamos trabalhando a matéria. Semana passada visitamos uma horta orgânica, no São Vito, para as crianças poderem acompanhar o processo de funcionamento”, disse a coordenadora da Emei, Luciana Segatti. “Queremos mostrar a questão da alimentação saudável, do lixo orgânico, passar a percepção que consumo consciente ajuda a diminuir impactos negativos no meio em que vivemos”, revelou.

Para os pais de Gustavo e Matheus, de cinco anos de idade, Ricardo Mantoani e Glenya Taunara, a oficina é importante para conscientizar sobre a importância de estar saboreando um alimento saudável e nutritivo. “Eu acho interessante a oficina porque, hoje em dia, as crianças que moram em condomínio não têm contato com a natureza”, disse Ricardo. “Além do que as crianças estão juntas com a família participando e a alimentação é um ponto positivo”, concordou Glenya. Participaram da oficina cerca de 80 alunos.

Zanetti faz, em média, oito oficinas por mês em todo o país. O paisagista disse ficar emocionado ao ouvir o pai relatar que o filho começou a comer verdura depois da realização da oficina. “Eu via que a criançada não tinha contato com a terra. Por isso passei a trabalhar a questão da alimentação saudável, do meio ambiente e da sustentabilidade”. Segundo Zanetti, mais de 1.500 crianças já participaram da oficina.

A professora da Emei, Ivania Marques, sabe que a melhor hora de conscientizar sobre a importância de uma alimentação orgânica e balanceada é na infância. “Trabalhamos o meio ambiente de forma global. As crianças visitam hortas, têm contato com vídeos, pesquisas, etc. Recentemente fizemos um lanche natural com eles: patê de cenoura, tomate e alface. Adoraram”, disse entusiasmada. “Agora eles levam para casa a ideia do orgânico e chegam a questionar os pais sobre o assunto.”

A aluna Ana Beatriz, com a horta orgânica produzida na garrafa PET em mãos, “resumiu bem” o objetivo da oficina. “Foi muito legal participar. Eu vou comer alface quando crescer”, finalizou.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE