Altas temperaturas deixam hipertensos em alerta

Existem riscos para a saúde das pessoas durante um período de altas temperaturas, como neste verão, especialmente em relação à alteração da pressão arterial. Quais pessoas são mais vulneráveis à onda de calor? O risco de infarto e AVC aumenta? O Doutor Carlos Alberto Pastore, cardiologista do Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP responde a essas e outras questões.
Ele explica que, no calor, ocorre a vasodilatação, levando à queda de pressão. Os mais afetados são idosos, que, em geral, já tomam medicamentos para a pressão e sofrem com a mudança repentina da dinâmica do sangue no corpo. Apesar disso, o doutor afirma que continua sendo possível que a pressão de pessoas hipertensas suba, já que seus organismos são sensíveis e têm reações vasculares mais exacerbadas.
Em dias quentes, aumenta a probabilidade dos eventos cardiovasculares, pois a subida brusca de temperatura pode desencadear uma resposta cardiovascular e precipitar uma crise em quem já apresenta fatores de risco, aumentando inclusive o risco de infarto. Os principais sinais de alerta, que devem levar o paciente a buscar o pronto-socorro, são tontura e palpitação.
Os médicos recomendam que hipertensos tomem remédios ao acordar, pois durante o sono os vasos relaxam, mas a pressão volta a crescer rapidamente quando se desperta, fazendo com que grande parte dos infartos ocorram no período matinal. Por esse motivo, é necessário prezar pelo bom sono, o que pode ser um desafio no calor.
Pastore elucida que o cérebro e o corpo precisam de uma diferença de temperaturas entre si para induzir o sono e, em dias quentes, não há essa diferença. Para corrigir isso, ele recomenda a prática de exercícios, evitar comer muito a noite e diminuir o uso do celular antes de dormir.
A alimentação nesse período deveria ser a mais leve possível, evitando sal e condimentos, e moderando o consumo de álcool, já que tudo isso requer muita água e ajuda o organismo a se desidratar. A principal recomendação do especialista é que, em especial o álcool, sempre seja acompanhado de muita água.
(com informações da Agência USP)

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE