Almanaque do Rio Branco grátis vem depois da fase vermelha

Inicialmente prevista para ter início nesta semana, a distribuição do “Almanaque do Rio Branco – O Embaixador de Americana” para o público em geral foi adiada devido ao início, em todo o estado de São Paulo, da fase vermelha do Plano São Paulo de combate à pandemia de coronavírus. O livro já está sendo entregue para algumas pessoas ligadas ao clube, imprensa, bibliotecas, museus e outros pontos de leitura pública. Haverá também uma cota para escolas municipais e estaduais da região.

A fase vermelha provocou o fechamento da Biblioteca Municipal de Americana, onde os livros estão armazenados. A distribuição será feita através do preenchimento de um formulário on-line, a ser aberto somente após o fim da fase vermelha, seguido pela retirada pessoalmente na biblioteca, de forma gratuita, autorizada apenas à pessoa que preencheu o cadastro e mediante a apresentação de documento. A tiragem é limitada e os livros serão entregues por ordem de chegada na biblioteca, em datas que serão definidas e enquanto durar o estoque (o preenchimento do formulário não garante, assim, um exemplar, caso o estoque termine antes de a pessoa retirá-lo na biblioteca).

O almanaque, resultado de 20 anos de pesquisas e tentativas de viabilizar o projeto financeiramente do jornalista Claudio Gioria, é um livro de capa dura, com 576 páginas, que cumpre a sua função de almanaque, mas sem deixar de detalhar a história do clube desde antes da fundação, em 1913, com a introdução do esporte na ainda Villa Americana, então um distrito do município de Campinas. A distribuição do livro começa na semana que vem.

O livro tem apresentação do jornalista da ESPN Brasil Celso Unzelte, precursor dos almanaques de clubes brasileiros, no início dos anos 2000, com o “Almanaque do Timão”. “Se considerarmos que, comparativamente ao que eu fiz com o Corinthians, o Claudio lidou com um clube historicamente muito menos badalado pela mídia e que, ainda por cima, teve suas atividades no futebol interrompidas por um longo período até 1979, só haverá um adjetivo que faça jus a esse trabalho: hercúleo”, escreve Unzelte na apresentação.

O prefácio é do narrador do Sportv Jota Júnior, americanense que acompanha o Rio Branco desde garoto. “Minha primeira visita a um campo de futebol, ainda criança, foi no acanhado estádio do Tigre na Rua Fernando Camargo. Minha primeira partida de futebol vista de perto foi do Rio Branco nesse mesmo local”, relembra o narrador, sobre o antigo campo do Tigre, em área hoje ocupada pela escola Heitor Penteado.

“Rio Branco – O Embaixador de Americana” é um projeto cultural realizado por meio do Programa de Ação Cultural – ProAC-SP, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, com produção cultural da 3marias. O patrocínio é dos Supermercados São Vicente, que por anos estampou sua marca na camisa do Rio Branco.

O almanaque começa contando a história do clube, com cerca de 280 fotos em páginas coloridas. A partir de 1979, quando o Tigre voltou ao futebol depois de um hiato de 20 anos, essa história é contada ano a ano. A primeira parte do livro é encerrada com a história detalhada da construção do Riobrancão, que ganhou o nome de Décio Vitta em 1986.

A seção almanaque começa com o “Jogo a Jogo”, com as fichas técnicas de pouco mais de 2.100 jogos do Rio Branco, curiosidades de diversas partidas e as classificações de cada fase de campeonatos disputados pelo Tigre. E tem sequência com o “Quem é Quem”, que reúne biografias – acompanhadas do número de jogos, gols, vitórias, empates e derrotas – de cada um dos 1.637 jogadores que vestiram a camisa do clube e dos 108 treinadores que já comandaram o time, com 1.321 fotos de jogadores e 96 de técnicos.

O livro traz ainda as escalações do Rio Branco em todos os jogos que o clube disputou na Copa São Paulo de Juniores, os números contra todos os adversários ao longo da história e uma série de curiosidades na seção tira-teima, encerrada com a lista de todos os presidentes e a evolução do escudo do clube. Nos anexos, todos os jogos da curta história do Americana Esporte Clube, que se fundiu com o Rio Branco em 1979.

O Almanaque do Rio Branco completa um projeto de preservação da história do clube que teve início com o documentário “Tigre de Americana, Uma Paixão Centenária”, lançado em 2016, com direção de Luciana Teixeira, também realizado por meio do ProAC-SP e com patrocínio dos Supermercados São Vicente. Desde o início deste ano, o filme está disponível no https://hotm.art/FilmeTigredeAmericana.

CRÉDITOS:

Realização: Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Produção cultural: 3marias Produtora Cultural

Patrocínio: Supermercados São Vicente

Redação, edição e pesquisa: Claudio Gioria

Projeto gráfico e tratamento de imagem: Fábio Jacomini

Revisão: Carolina Alves Ferreira e Janete Stela Domenica

Composição de capa: Eliane Deliberali e Juarez Godoy

 

 

LEGENDA – FOTO

O autor, Claudio Gioria, com o livro

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE