Acordo deve parar com horror em Aleppo

(Reuters) – Um novo acordo está sendo negociado para completar a evacuação de áreas rebeldes ao leste de Aleppo, na Síria, que foi suspensa na sexta-feira depois que as forças pró-governo exigiram que pessoas também fossem removidas de duas aldeias sitiadas por insurgentes.
Um oficial rebelde sírio e um oficial do governo disseram neste sábado que a evacuação de Aleppo seria retomada e as duas aldeias xiitas seriam liberadas, bem como os feridos de duas cidades próximas à fronteira libanesa e leste de Aleppo.
Mas fontes disseram que as negociações ainda estão em andamento para finalizar como as evacuações aconteceriam e quantas pessoas iriam embora.
Um ponto de discórdia em conversações esta semana foi o número de pessoas que terá permissão para deixar as aldeias xiitas de al-Foua e Kefraya, na província de Idlib, que são sitiadas por insurgentes.
O Comitê Internacional da Cruz Vermelha informou que milhares de pessoas assustadas e feridas ainda estavam no leste de Aleppo esperando para sair.
O oficial rebelde al-Farouk Abu Bakr, falando de Aleppo mais cedo, disse que o acordo incluiria a evacuação das duas aldeias xiitas sitiadas por insurgentes, a liberação de feridos de duas cidades sitiadas por forças pró-governo perto da fronteira libanesa e a evacuação total de Aleppo oriental rebelde.
As cidades de Madaya e Zabadani são bloqueadas por forças pró-governo.
A operação de retirada de pessoas das últimas áreas controladas pela oposição na cidade síria de Aleppo foi suspensa na sexta-feira depois que milícias pró-governo exigiram que pessoas feridas deveriam também ser retiradas de duas vilas xiitas cercadas pelos combatentes rebeldes.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE