Acia perde aproximadamente 400 associados entre 2019 e 2021

A Associação Comercial e Industrial de Americana (ACIA) perdeu aproximadamente 400 associados desde a saída do ex-presidente da entidade Dimas Zulian.  Zulian deixou a presidência em julho de 2019 com cerca de 2.200 associados e hoje, de acordo com a assessoria de imprensa da entidade, o número reduziu para 1.800.

Além de associados, a entidade também reduziu seu quadro de funcionários, o que foi justificado pelo atual presidente Wagner Ambruster como interferência da pandemia.

“Em decorrência da pandemia a ACIA foi obrigada a reduzir seu quadro funcional e fazer ajustes orçamentários para evitar problemas financeiros.
A entidade, além da diretoria e do Conselho dispõe de um conselho fiscal que audita todos os passos da entidade”, disse Wagner através da assessoria de imprensa.

NÚMEROS.

O NM tentou obter de forma oficial o número de associados dos anos de 2019 e 2020, porém a entidade não forneceu. A assessoria de imprensa apenas informou que a queda do número entre 2019 e 2021 é de 7,2%, o que não bate com os números levantados pelo NM com pessoas ligadas à entidade e através de matérias jornalísticas publicadas no ano de 2019. A porcentagem correta seria uma redução de 18,18% de associados.

Ainda, a associação precisou demitir 50% do seu quadro de funcionários.

“Quanto ao quadro de colaboradores, por conta da pandemia a ACIA ficou impedida de oferecer vários de seus serviços, como eventos, treinamentos, e alguns serviços que se mantiveram também tiveram demanda reduzida, portanto foi necessário um corte de pessoal de cerca de 50% até que a situação se normalize. A expectativa é que a entidade volte a recontratar a medida que as atividades sejam retomadas, dando preferência aos colaboradores que foram dispensados”, disse a associação.

PROBLEMA COM ASSINATURA. 

O NM recebeu alguns relatos de pessoas próximas à entidade de que Wagner não estaria assinando os documentos como presidente por restrições no CPF. Um fonte – que preferiu não se identificar – afirmou que a situação causou mal estar entre membros da diretoria, inclusive resultando em afastamentos. O NM solicitou, então, um posicionamento da situação. Segue nota enviada pela assessoria em nome do presidente.

“A Acia cumpre o determinado no seu estatuto social, inclusive a possibilidade de substituição do presidente por um de seus vice-presidentes, para execução de suas funções quer seja de forma parcial ou total. Os eventuais problemas restritivos são objeto de defesa administrativa nas esferas competentes, e portanto, embora sejam momentâneos, serão em breve solucionados.

No Estatuto esta previsto que varias pessoas da diretoria podem em dupla assumirem as responsabilidades das contas da entidade . Decorrentes de problemas pessoais ou casos se saúde ou necessidade de afastamento . Cabendo ao presidente, vice e primeiro tesoureiro em comum acordo com a diretoria executiva delegarem responsabilidades.

O Estatuto prevê que desacordos comerciais dos empresários ou choques de interpretações entre clientes e fornecedores que gerem problemas deste montante para qualquer pessoa que se coloque a frente da entidade. O Estatuto salvaguarda essas exceções que confirmam a regra.

Temos em torno de 100 diretores que mensalmente tem acesso livre a todos os caminhos administrativos e financeiros da entidade. E a entidade esta aberta a qualquer sócio que desejar ver, verificar e avaliar seus caminhos.
Somos transparentes e tudo está a mostra. Nada foge do reto seguimento do Estatuto e nem fere as leis vigentes. Quer da entidade ou do país.”

 

 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE