Academias se reinventam mesmo de portas fechadas

O Brasil passa pelo momento mais sensível da pandemia. Atualmente, o Estado de São Paulo encontra-se na fase vermelha, onde só serviços essenciais podem funcionar. Estabelecimentos como salões de beleza, parques, cinemas e  academias são exemplos de negócios que devem manter as portas fechadas durante essa fase.

 

Impedidas de receberem alunos, as academias estão buscando alternativas para continuar promovendo saúde. É o caso da academia Ultra, que além de não cobrar mensalidade pelo tempo que estará fechada, preparou uma sequência de vídeos com treinos diários e está disponibilizando em suas redes sociais, atendendo até quem não é aluno. Os treinos são extremamente práticos e funcionais, como explica o fundador da Academia Ultra, Fernando Nero, “Esses treinos ajudarão as pessoas a queimar calorias, melhorar o condicionamento, dormir melhor, aumentar a disposição e elevar a imunidade”. Os treinos podem ser feitos a qualquer hora e em qualquer lugar, sem a necessidade de equipamentos e acessórios.

 

Com mais de 20 anos de experiência no mercado fitness, Fernando vê o momento como o mais difícil já vivido pelo setor, mas está otimista com o futuro. “Já passamos por essa situação no ano passado e conseguimos sobreviver, sei que é um momento difícil mas com a chegada da vacina e o aumento do interesse da população em se manter saudável, vamos sair dessa fortalecido” entende o empresário.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE