Tecnologia

Startups "unicórnio" estão mudando o cenário econômico brasileiro

Veja o que são e como funcionam

Publicado em 2019-12-05 11:28:06 Atualizado em 2019-12-05 11:29:49 (553 visualizações)

Conceito surgido no final da década de 1980, startup remete a um negócio de pequeno porte que está começando, geralmente, relacionado à pesquisa e ao desenvolvimento. E esse mercado só tem crescido. Basta dizer que as startups brasileiras já passam de 6 mil.

Agora, entre os tipos de startups de maior sucesso no mundo estão as chamadas starturps unicórnio. O nome, inspirado na raridade desse animal mitológico, tem a ver com o fato dessas empresas terem um crescimento exponencial muito rápido, sendo avaliadas em US$ 1 bilhão por agências de capital de risco.

Esse mercado tem ganhado cada vez mais destaque em todo o mundo, e no Brasil não é diferente. Várias startups como Uber, Xiaomi, Airbnb, Snapchat, Pinterest, Spotify e Dropbox já estão presentes no nosso cotidiano, e a tendência é só aumentar.

Entendendo as bases para uma startup

Uso intensivo de tecnologia, estrutura enxuta e inovação no modelo de negócio são as partes do tripé que forma uma startup. A união dessas três características permite que esse tipo de empresa tenha um crescimento de até 200% ao ano — dez vezes a taxa de crescimento de empresas tradicionais.

Esse modelo de negócio tem ganhado o mundo ao oferecer produtos e serviços de forma extremamente inovadora. Em relação à importância da atuação brasileira na área, por exemplo, São Paulo ganhou o 12º lugar no ranking de mercado mais promissor do setor no mundo pelo The Global Startup Ecosystem Ranking.

Startup Unicórnio: O que é?

De acordo com a mitologia, o unicórnio seria um animal semelhante a um cavalo branco, com um chifre pontiagudo na cabeça e com poderes mágicos relacionados à cura, à pureza e à felicidade, além, é claro, de serem extremamente raros.

É exatamente essa última característica que faz com que algumas startups levem o apelido de “unicórnio”. Essas empresas fazem parte de um grupo seleto que conseguiu alcançar um enorme feito: serem avaliadas no valor de US$ 1 bilhão por uma empresa de risco.

Na verdade, o grande feito é conseguir arrecadar esse montante antes mesmo de vender suas ações para o público e se tornar uma IPO (Initial Public Offering, em tradução livre, Oferta Pública Inicial).

O termo foi introduzido por Aileen Lee em seu artigo Welcome To The Unicorn Club: Learning From Billion-Dollar Startups (traduzindo, Bem-vindo ao Clube Unicórnio: aprendendo com startups de bilhões de dólares). Para ela, esse tipo de negócio surge em 1990, sendo o Google considerado o “super-unicórnio” da época.

Atualmente, o número de startups unicórnio passa de duzentos, sendo que, das cinco consideradas mais valiosas, três são norte-americanas — Uber, Airbnb e SpaceX — e duas são chinesas — Didi Chuxing e Toutiao).

Startups unicórnio no Brasil

Até pouco tempo atrás, o Brasil possuía apenas uma empresa unicórnio legitimamente nacional: a Decolar, considerada a maior agência de viagens on-line do país. Mas esse quadro tem mudado desde o ano passado, afinal de contas, 70% das startups brasileiras foram criadas entre 2016 e 2017.

O 99 App — aplicativo de viagens de táxi e carro particular — e o Nubank — operadora de cartões de crédito e fintech — entraram para o ranking de startups unicórnio do Brasil, junto à Arco Educação — companhia especializada em soluções educacionais —, PagSeguro e Stone, ambas do meio de pagamento eletrônico.

E esse quadro tende a evoluir, já que o mercado brasileiro de startups cresce a cada ano. Em entrevista para a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), o diretor-executivo da ABStartups, Rafael Ribeiro, afirmou que há um aumento anual de 20% de startups, demonstrando otimismo mesmo em relação às dificuldades que o país vem enfrentando.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Tecnologia

Fintechs brasileiras para ficar de olho em 2020


2020 chegou. E agora, gestor?


Serviço Não Perturbe dos bancos começa a funcionar nesta quinta


Como começar a investir em marketing digital


Data analytics fica mais amigável para 'explicar' a big data



© 2009-2020. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza