Tecnologia

'Startup da Unicamp' aposta em portaria robotizada

HomeBook

Publicado em 2019-04-23 22:00:03 Atualizado em 2019-04-23 22:00:03 (980 visualizações)

A HomeBook, startup incubada na Incamp (Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp), já está oferecendo uma solução de Portaria Remota Robotizada, que utiliza o conceito de Indústria 4.0 para trazer mais segurança e comodidade aos condomínios. O lançamento do produto aconteceu durante a 2º edição do Amcham Talks | Trends Innovation Festival, na quinta-feira, 11 de abril.

O desejo de desenvolver o sistema surgiu a partir da experiência do Líder de Inovação da startup. Alcino Vilela decidiu empreender devido a sua vasta experiência como síndico de condomínio. Eleito pela primeira vez em 2007 e tendo conquistado, ao longo dos anos, diversos prêmios por sua gestão, o empreendedor vislumbrava desenvolver um produto capaz de minimizar os gastos do condomínio.

Após comparecer a uma feira de condomínios em 2017 e observar o grande número de empresas trabalhando com portaria remota, teve a ideia de criar uma portaria robotizada que tivesse um custo mais baixo que os produtos semelhantes e que se destacasse por não precisar de um porteiro humano.

Utilizando capital próprio e muito esforço, Vilela – que é técnico em eletrônica, graduado em Ciências Sociais e com especialização em Sustentabilidade – criou a primeira portaria robotizada do Brasil, que é focada no reconhecimento facial. Hoje a solução pode ser utilizada em condomínios residenciais e corporativos, automatizando os serviços de portaria e substituindo o porteiro humano pelo porteiro robô – carinhosamente chamada de Denise – para controlar o acesso de moradores, visitantes e prestadores de serviço ao prédio. Além de melhorar a segurança, ele frisa que um dos pontos altos da tecnologia desenvolvida pela HomeBook é o custo aos condomínios: o valor mensal para uso da tecnologia é de R$990. Outra aposta da empresa é o investimento em novas tecnologias: a startup firmou parceria com a Griaule Biometrics, também empresa-filha da Unicamp, para o desenvolvimento de tecnologia focada em reconhecimento facial.

"Com um investimento de R$36 mil, o equivalente a 5% do gasto trienal que os condomínios costumam ter com funcionários próprios contratados para a portaria, o condomínio pode ter uma portaria robotizada que, com sua tecnologia inovadora, oferece mais segurança e economia para os condôminos", afirma Alcino Vilela.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Tecnologia

Golpistas usam Instagram para aplicar vendas falsas


Embraer mostra protótipo de avião com propulsão elétrica


Share Economy- Carona, aluguel e roupas


Micro e pequenas têm na tecnologia soluções pra gestão


Chess Rush chega com novo modo 4v4



© 2009-2019. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza