Tecnologia

Startup te ajuda na emissão de boletos registrados

Fintechs já se adaptaram ao novo cenário exigido pela Febrabran

Publicado em 2019-01-11 15:00:07 Atualizado em 2019-01-11 15:00:07 (290 visualizações)

Cada vez mais o mercado se adapta para oferecer facilidades para o dia a dia da população. Diariamente, milhares de visionários e empreendedores se esforçam para desenvolver soluções e inovar em produtos (muitas vezes simples e cotidianos) do novo milênio. Até o momento foram inúmeros exemplos de inovações que mudaram para sempre a vida de muita gente: a internet, smartphones e eletroeletrônicos são alguns deles.

Sem restrições, essa cadeia de mudanças não se reflete apenas em produtos, as inovações tecnológicas desenvolvidas pela humanidade têm transformado também a área de prestação de serviços. Com a evolução, o leque de possibilidades entra em jogo.

Há alguns anos atrás, você imaginava pedir comida pelo app do celular e não ao telefone, e receber em poucos minutos em casa? Ou então chegar até um local desconhecido sendo orientado por um aplicativo sem precisar olhar o mapa na lista telefônica?  E ter acesso aos serviços de bancos sem precisar colocar “o pé” em uma agência? Hoje são costumes que praticamente se tornaram rotineiros, porém, até então era algo praticamente impossível de acontecer.

Mas são essas facilidades que tornam a vida mais simples, contribuindo principalmente para aqueles que vivem na correria ou acumulados de funções. De acordo com a modernidade, mudam-se conceitos e costumes; e não só em casa, mas no trabalho também.

Facilidade na cobrança
As formas de pagamento se atualizam constantemente, porém o cartão de crédito e o boleto prevalecem entre os preferidos. Este último, já é um velho conhecido e faz muito sucesso principalmente porque atende a necessidade de muitos desbancarizados (que não possuem nenhum vínculo com instituições bancárias).

A Febraban estima o pagamento de 3,7 bilhões de boletos bancários por ano no Brasil, ou seja, mais de 10 milhões são pagos diariamente. No ambiente online, uma parceria entre a E-commerce Brasil e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), mostra que o pagamento com boleto bancário é considerado a melhor opção de cobrança para 75% dos consumidores brasileiros.

Visualizando toda essa popularidade, as fintechs (startups de serviços financeiros) encontraram nessa situação, um nicho para ser explorado. Com o objetivo de simplificar a vida do empresário e do cliente, as fintechs modernizaram todo esse sistema de pagamento, assim como fez a Cobre Fácil.

Paulo Henrique, CEO e co-fundador da marca, é um desses empresários que está sempre em busca de novidades, e as dificuldades que ele tinha ao emitir seus boletos foi o que fez com que ele viesse a idealizar a plataforma que, inclusive, otimiza todo o processo.

O empresário explica que a fintech criou seu sistema baseado na simplicidade. Após o cadastro do emissor (que também é bem rápido: basta informar o nome, endereço e CNPJ), o cliente ao ser cadastrado, uma única vez, tem todas as suas informações salvas e geradas automaticamente. Ou seja, todo mês o usuário da plataforma precisa apenas criar a cobrança inserindo o valor e a data do vencimento, todas as outras informações já estão prontas. “São apenas três cliques para gerar o boleto”, evidencia o CEO.

Para agregar valor ao sistema, a Cobre Fácil produz todo mês um relatório de gestão que é bem similar ao extrato de banco. Ele mostra todas as transações financeiras ocorridas nos últimos 30 dias: o dinheiro que saiu e o que entrou na conta, pagamentos de taxas, etc.
 

Taxas e juros no passado
E falando em taxas e juros... essas ficaram no passado. Paulo explica que um dos intuitos era criar um sistema de gestão de cobrança que não viesse atrelado aos bancos e que fosse uma alternativa bem melhor que qualquer outro sistema de cobrança: “Assim chegamos ao modelo da Cobre Fácil. As cobranças que você emite pelo banco, quando pagas, vão diretamente para a sua conta bancária, mas eles cobram taxas sobre cada cobrança enviada, compensada, cancelada, dado baixa e emissão de segunda via, sem falar no atendimento difícil e no processo burocrático. Outros tipos de sistemas como os de pagamentos online, também cobram muito juros, o que acaba prejudicando o empresário que não consegue fazer um preço melhor para ofertar seu produto”, explica.

Neste caso, o sistema de emissão de boleto da Cobre Fácil não cobra por emissão, baixa, cancelamento, segunda via, manutenção de boleto vencido, transações de cartão não aprovadas. Quem envia, só paga por transações pagas. Se não houver efetuação do pagamento, ele não será cobrado por nada.

Para o autônomo, MEIs, PMEs e franqueadores de microfranquia, público-alvo da marca, o uso do boleto pode promover melhores negociações. Explico! Muitas empresas que oferecem o serviço de pagamentos, como o online, por exemplo, exige que sejam pagos valores bem elevados para que ocorram as transações. Imagine um site que vende sapatos e você se interessa e compra um par. Caso seu pagamento seja no à vista, o dono desse site precisará pagar uma taxa de 5,99%. Se você parcelar, geralmente o valor cobrado é de R$1,99% sobre cada parcela. “O boleto ajuda o empresário a realizar uma venda direta com o cliente sem a intermediação de terceiros cobrando essas taxas. Assim, é possível gerar um desconto melhor para o cliente e o dinheiro cairá total na conta corrente. Os dois lados saem ganhando. O vendedor não morre com juros e o comprador não corre de juros sobre a compra”, explica.

Todo boleto é registrado
Desde sua criação, a Cobre Fácil segue à risca os padrões exigidos pelo mercado: todos os boletos gerados são registrados. A prática vem de acordo com a decisão da FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) que através da Nova Plataforma de Cobrança (NPC) impôs que todas as empresas que oferecem a opção de pagamento via boleto bancário estão obrigadas a registrá-los.

Sob a nova plataforma, o emissor deve informar dados de identificação de ambas as partes, CPF, CNPJ, endereço e valor da cobrança. Além de ficarem registradas no próprio boleto, as informações também ficam salvas no sistema da instituição financeira escolhida - que é o grande intuito da NPC: transparência e segurança tanto para a empresa quanto para o consumidor.

Sobre a Cobre Fácil
Fundada em 2016 em São José do Rio Preto (SP), a Cobre Fácil que atualmente possui sede em Campinas (SP) é uma Fintech (startup de serviços financeiros), independente de banco e ainda com valores acessíveis. A empresa realiza a emissão de boletos bancários registrados e cobranças via cartão de crédito; emissão e gestão de carnês e mensalidades; alertas de cobranças; personalização de faturas e outras funcionalidades relacionadas. A grande vantagem é que o cliente paga apenas quando o boleto for pago, sem custos de emissão, baixa, cancelamentos e segundas vias, de uma forma segura, ágil e simples, reduzindo assim o números de inadimplências. A plataforma é direcionada a autônomos, MEIs, PMEs e franqueadores de microfranquia, e conta com a Brink’s como investidora do negócio. A marca possui também a Cobre Fácil Conta (uma conta digital com cartão internacional Mastercard e serviços de pagamento de conta, recarga de celular e outros). A Cobre Fácil já soma mais de 11 mil cadastros em todo o território nacional.

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Tecnologia

Facebook terá inteligência artificial para combater 'pornô de vingança'


Escurecer o sol não seria tão ruim


Bons motivos para trabalhar com Blockchain


Facebook constrói máquina para ler seus pensamentos


Por que contratar uma agência de marketing digital?



© 2009-2019. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza