Saúde

NO: Arrastão contra a dengue chega a mais 3 bairros

Ação Casa a Casa

Publicado em 2018-10-18 07:00:02 Atualizado em 2018-10-18 09:46:49 (275 visualizações)

Depois do Jardim São Jorge, agora será a vez dos bairros Vila Azenha, Flórida e Fadel receberem o arrastão "Todos Contra a Dengue". A ação da Secretaria de Saúde, através da Vigilância em Saúde, será realizada neste sábado (20) por 15 agentes de controle de endemias. Paralelamente, as equipes iniciaram um trabalho tão importante quanto, que é a visita casa a casa para orientar os moradores a eliminar possíveis criadouros do mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, mas também da chikungunya e zika.

No Jardim São Jorge, os agentes percorreram 24 quadras do bairro e visitaram 744 imóveis. Foram retirados quatro metros cúbicos de possíveis criadouros do mosquito. A coordenadora da Vigilância em Saúde, Adriana Welsch Ferraz, explica que a redução de criadouros ainda é o melhor método para se prevenir a proliferação de mosquitos "e, consequentemente, das doenças transmitidas por eles". Ela alerta para a retirada de qualquer objetivo que possa servir para esse fim: pneus, latas, vidros, garrafas, vasos de flores, pratos de vasos, caixas de água, tonéis, latões, cisternas, piscinas, tampinhas de garrafas, bebedouros de animais, entre outros.

O secretário de saúde, Vanderlei Cocato, recomenda, mais uma vez, que os moradores colaborem com a prefeitura, abrindo as portas da residência para os agentes municipais. "O nosso pessoal nas ruas, enfrentando altas temperaturas, cachorros bravos e outros desafios a fim de fazer um belo trabalho de conscientização e prevenção dessas doenças. Vale a pena contribuir", afirma.

CASA A CASA. A ação casa a casa teve início na segunda-feira no Jardim São Francisco, onde os agentes orientaram os moradores e fizeram a retirada de possíveis criadouros. Naquele bairro, infelizmente, foram encontradas 12 larvas do mosquito transmissor da dengue. Nesta quarta-feira, as equipes percorreram o Jardim Triunfo. "É importante que a população colabore e não baixe a guarda, caso contrário, o nosso trabalho será em vão", comentou Adriana. "Estamos fazendo uma cobertura completa na cidade. São dois programas diferentes, mas a ação é a mesma. Durante a semana, fazemos esse trabalho casa a casa orientando os moradores. No fim de semana, fazemos os arrastões", explica a coordenadora.

Nova Odessa registrou apenas quatro casos de dengue este ano e com a chegada do período chuvoso os cuidados devem ser redobrados. A cada arrastão, por exemplo, cerca de 700 imóveis são visitados e a expectativa é atingir 4,2 mil no total. "Em outubro, nós realizamos o LIRA, que é o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti. Os dados foram repassados para a Sucen e para o Ministério da Saúde. Já em janeiro e julho, nós realizamos sempre o ADL (Análise de Densidade Larvária), também conhecido como Índice Breateau, isso nos 43 bairros de Nova Odessa, incluindo as chácaras. A Secretaria de Saúde faz a sua parte, mas é importante, digo, essencial, que a população também faça a sua", frisou Cocato. Os munícipes que identificarem possíveis criadouros em terrenos também devem comunicar o setor de Zoonoses da prefeitura, pessoalmente ou através do telefone 3466-5442.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Saúde

10 dicas para manter o foco no treino após o Verão


Veja como 2 pacientes foram curados do HIV


Canito quer 'dar um pau' no mosquito da dengue


Conheça os Benefícios do abacate para sua pele


HM de Americana precisa de doações de sangue



© 2009-2019. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza