Saúde

Parto adequado fica em 1o no sistema Unimed

Nascer – Ação de Todos

Publicado em 2015-07-21 13:59:52 Atualizado em 2015-07-21 13:59:52 (2489 visualizações)

O projeto “Nascer – Ação de Todos”, desenvolvido pela Unimed Santa Bárbara d’Oeste, Americana e Nova Odessa para incentivar o parto adequado, foi considerado a melhor experiência realizada entre as Unimeds paulistas que concorreram ao prêmio Casos de Sucesso, concedido pela FESP (Federação das Unimeds do Estado de são Paulo).
 
Voltado ao parto humanizado, esta iniciativa é exclusiva entre os planos de saúde locais, está baseada nos modelos de maior sucesso dentro e fora do país e utiliza a metodologia IHI (Institute for Healthcare Improvement), que objetiva melhorar a saúde da mulher e do bebê, além da experiência com o cuidado.
 
A premiação ocorreu durante a programação do 32º Suesp, o maior encontro do sistema Unimed em nível estadual, organizado para debater as estratégias das singulares no mercado de saúde suplementar.
 
O prêmio Casos de Sucesso selecionou 10 finalistas. A Unimed Santa Bárbara d’Oeste, Americana e Nova Odessa venceu em primeiro lugar. O segundo lugar foi conquistado pela Unimed São José dos Campos, com o trabalho “As Autoclaves e a Agenda Global Hospitais Verdes e Saudáveis”. O terceiro lugar também ficou com a Unimed São José dos Campos, com o trabalho “Programa de Reabilitação em Coluna”.
 
Para o diretor de Provimento de Saúde da pela Unimed Santa Bárbara d’Oeste, Americana e Nova Odessa, Dr. Gustavo Franco de Andrade, que apresentou o projeto ao público presente no evento, este prêmio foi uma honra. “Representa o verdadeiro espírito do nosso projeto, que é uma ação de todos: diretores, gestores, médicos, enfermeiras e gestantes", afirmou.
 
Pioneirismo reconhecido
Por ter saído na frente do modelo de atenção à gestante que está em curso na saúde suplementar, esta não foi a primeira vez que o “Nascer – Ação de Todos” ganhou reconhecimento.
 
Em maio, o HUA (Hospital Unimed Americana), onde o projeto está implantado, foi uma das três instituições privadas convidadas pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) para participar do projeto piloto de Parto Adequado, desenvolvido pela agência reguladora em parceria com o IHI e a cooperação do Hospital Israelita Albert Einstein.
 
Atualmente, a média de parto normal no HUA é de 31% ao ano, um índice muito superior aos 13% registrados antes do projeto ser implantado. Somente no mês de junho, o índice de parto normal alcançou 41%. Já a média das gestantes que entram em trabalho espontâneo de parto está em 82% e a meta é alcançar 85%.
 
As altas taxas de cesáreas verificadas no país - 84% na saúde suplementar e 40% no sistema público – são motivo de preocupação da ANS e seu projeto-piloto de Parto Adequado é o início de um modelo de assistência que em breve se tornará obrigatório.
 
“O que me encantou neste projeto é que seu objetivo é a construção de um modelo cultural sem tanta intervenção, que cria experiências saudáveis para a mulher”, afirmou o presidente da pela Unimed Santa Bárbara d’Oeste, Americana e Nova Odessa, Dr. Emerson Assis.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Saúde

Número de pacientes com hepatite cresce 20% em 10 anos no Brasil


Médicos comemoram hoje o Dia Nacional do Cérebro


Tivoli tem vacinação contra a gripe no final de semana


Exame descarta nova morte por Influenza em Nova Odessa


Zera Fila da Saúde atende 850 em 8 UBSs



© 2009-2019. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza