Geral

Meditação manteve os meninos tailandeses calmos na caverna

Treinador viveu em mosteiro budista por uma década

Publicado em 2018-07-12 20:28:39 Atualizado em 2018-07-12 20:28:39 (457 visualizações)

Quando os 12 garotos tailandeses que estavam presos em uma caverna e foram resgatados um a um foram descobertos pela primeira vez por mergulhadores britânicos há uma semana, eles estavam meditando. “Veja como eles estavam quietos esperando lá. Ninguém chorava nem nada. Foi surpreendente ”, contou a mãe de um dos garotos, referindo-se a um vídeo amplamente compartilhado do momento em que os garotos foram encontrados.

Acontece que seu treinador, Ekapol Chanthawong, que os liderou em uma caminhada na caverna quando inundou em 23 de junho, teve um treinamento em meditação por uma década, quando viveu em um mosteiro budista, antes de se tornar um treinador de futebol.

De acordo com várias fontes de notícias, ele ensinou os meninos, com idades entre 11 e 16 anos, a meditarem na caverna para mantê-los calmos e preservar sua energia através de uma dura provação que durou duas semanas. "Ele podia meditar até uma hora", disse a tia de Ekapol, Tham Chanthawong. "Definitivamente o ajudou os meninos a manterem a calma." Na terça-feira, todos os 12 meninos e o técnico haviam sido resgatados.

Pesquisadores científicos reportam que a meditação mindfulness pode reduzir a ansiedade e a depressão bem como a dor.
 
Equipes de resgate disseram que apenas o médico que cuidou deles e três Navy Seals tailandeses envolvidos na operação permaneceram lá dentro. Ekapol, de 25 anos, foi morar em um mosteiro aos 12 anos depois de ficar órfão. Segundo o Straits Times, ele treinou para ser um monge por 10 anos em um mosteiro em Mae Sai, na Tailândia, mas interrompeu o treinamento para cuidar de uma avó doente. Ele então foi contratado para ser o assistente técnico da equipe de futebol, conhecido como os Wild Boars.

O treinador Ake, como é conhecido, ainda mantém contatos próximos no mosteiro. O abade disse ao Wall Street Journal que ele é "um jovem responsável que medita regularmente". Essa meditação seria uma prática útil em uma situação extremamente estressante como ficar presa em uma caverna não é uma surpresa. A meditação budista existe há 2.600 anos, desde que o Buda começou a ensiná-la como ferramenta para alcançar clareza e paz de espírito e, em última instância, libertação do sofrimento.

Recentemente, pesquisadores científicos mostraram em contextos clínicos que a meditação mindfulness (uma prática de meditação específica e outra ensinada no budismo tailandês e em outras partes do mundo) pode reduzir a ansiedade e a depressão, bem como a dor. Embora existam poucos estudos randomizados de controle sobre meditação e saúde mental, uma meta-análise de 2014 da Johns Hopkins descobriu que a meditação, e em particular a meditação da atenção plena (mindfulness) pode ter um papel no tratamento da depressão, ansiedade e dor. em adultos - tanto quanto medicamentos, mas sem efeitos colaterais.
 
A meditação também pode, em menor grau, reduzir o impacto psicológico, segundo a revisão. A pesquisa com crianças ainda é bastante preliminar, embora mais e mais escolas estejam implementando programas de meditação mindfulness.

 
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Geral

Foto de Hitler com menina judia é leiloada por US$ 11 mil


Simpatia para transformar sua vida


Submarino argentino reaparece 1 ano depois


Ganhadores da Loteria que perderam tudo


Domingo é dia. De horóscopo pra você



© 2009-2018. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza