5 lições valiosas sobre o mundo online

Esta semana, o ecossistema de eventos online foi impactado pelas novidades de formato apresentadas durante o WWDC 2021, conhecido, no Brasil, como Conferência Mundial para Desenvolvedores da Apple. Com cerca de 13 milhões de participantes, a atividade virtual, considerada a maior do planeta, trouxe uma série de novos  recursos tecnológicos e, como era de se esperar, proporcionou uma experiência inesquecível para palestrantes e espectadores, deixando um grande legado para o setor.

Segundo Leandro Reinaux, CEO da Even3, startup que simplifica eventos onlines, o WWDC, mais uma vez, deu uma aula de planejamento e execução, além de deixar muitos aprendizados para todas as empresas que apostam nesse tipo de estratégia.

 

“Por conta da pandemia do Covid-19, a Apple, no ano passado, mudou 100% o formato dos seus eventos. Antes, eram presenciais, com custo de até USD 1500 por pessoa e, agora, passaram a ser realizados no formato virtual e gratuito de simulive. De forma resumida, simulive significa simulação de um ao vivo, ou seja, o evento é pré gravado e, por isso, pode ser editado, mas dá a impressão ao espectador de que está sendo uma live. Então, o participante que chegar atrasado, por exemplo, vai assistir ao vídeo de onde ele estiver sendo transmitido, sem a possibilidade de voltar para os minutos iniciais”, afirma. 

 

E conclui: “Eventos de sucesso dependem de diversos fatores, e, definitivamente a Apple apostou em todos, sempre inovando e, dessa vez, também trouxe esse formato”, comenta Reinaux. 

 

O CEO da Even3 elencou 5 lições e aprendizados valiosos que o evento da Apple deixa para o setor.

Tipo de transmissão

Repetindo o mesmo formato de 2020, já sabendo de sua eficácia, o WWDC fez sua transmissão por simulive. Com isso, ficou claro que a Apple apostou mais uma vez em vídeos gravados para a edição, já pensando nos riscos de possíveis falhas ou transmissão do ao vivo para milhões de pessoas.

Através do simulive, houve uma grande produção com estratégias de humanização e senso de comunidade, que puderam ser vistas em representações com os tradicionais Memojis da Apple, presentes em várias etapas do evento.

Ou seja, tudo isso só foi possível por conta da gravação que pode contar com uma ótima edição, além de estarmos falando de uma estratégia extremamente segura com seus dados.

Internacionalização do evento

É possível concluir que um dos principais pontos positivos dos eventos virtuais é o fato de que pessoas do mundo inteiro podem se conectar, interagir e assistir ao conteúdo, seja do conforto da sua casa, do trabalho ou até mesmo se estiverem na rua. Nesse caso, o vídeo gravado tem mais um benefício, que é a inclusão de legenda, o que, consequentemente, garante maior número de inscrições e de participantes, gerando ainda mais credibilidade para o evento.

Através do estudo com mais de 34 mil eventos realizado pela Even3, o crescimento dos eventos online em 2020 impulsionou o acesso por pessoas de mais de 150 países, sendo os mais comuns, além do Brasil, os Estados Unidos, Portugal, Paraguai e Coreia do Sul.

Sabendo que legendar em vários idiomas é uma tarefa demorada, a estratégia encontrada pela Apple foi transmitir o WWDC 21 em inglês, no formato de simulive. Depois, o vídeo gravado foi disponibilizado on-demand para o público e as legendas em diversos idiomas serão adicionadas ao longo dos meses.

Tipos de atividade

A Apple apostou em diversas ações e atividades, com objetivo de buscar interatividade para criar senso de comunidade. Dentre elas, o uso de dinâmica de jogos para engajar as pessoas.

Na prática, os games funcionam da seguinte forma no WWDC: a organização do evento libera desafios durante a programação semanal preparada para os desenvolvedores cadastrados na Apple, assim, participantes do mundo inteiro se divertem juntos explorando tecnologias, testando funcionalidades, compartilhando suas criações e competindo de forma saudável uns com os outros.

Para realização de um evento online de sucesso, é preciso ter em mente a necessidade de reter a atenção do público, buscando metodologias certas para gerar engajamento, e, nesse ponto, a interatividade funciona para que o participante queira se manter no evento, já na expectativa de ver a próxima edição.

Ferramentas de submissão

Ao longo do evento, a Apple surpreendeu marcando apoio à educação e desenvolvimento dos estudantes, gerando ainda mais engajamento e união entre as pessoas do mundo inteiro.

No caso da Apple, eles tiveram o Swift Student Challenge, uma tradição de incentivar alunos que gostam de codificar através de um desafio, que promove prêmios aos vencedores.

Portanto, esse tipo de ferramenta, só confirma que as submissões em eventos fazem toda diferença. E isso é algo que requer muita atenção e cuidado. A Even3 também usa dessa estratégia, através do envio de trabalhos e de atividades em eventos, otimizando o processo e fazendo com que ninguém mais precise passar horas organizando trabalhos por e-mails, formulários ou planilhas.

Fóruns de Discussão

Ainda em busca de interatividade, a Apple apostou também no uso de fóruns de discussão, uma estratégia que tem sido adotada por vários grandes eventos, e, que já existe há muito tempo na internet.

No caso do WWDC 21, há 4 fóruns onde qualquer um com Apple ID pode expor sua opinião e até ser respondido por um dos engenheiros da Apple.

Na Even3, durante a produção de alguns eventos, existe a instrução para esses fóruns e enquetes, que são uma excelente opção para ouvir a audiência do seu público. Além disso, é recomendado também realização de sorteios e criação de comunidades exclusivas nas redes sociais, que também acabam se tornando fóruns de discussão.

Com tantos ensinamentos e lições deixadas pelo WWDC, o setor nacional de eventos é desafiado com tendências, mas segue forte e aquecido mostrando que já apresenta soluções para eventos online semelhantes à da gigante Apple. 

Sobre a Even3 

Fundada em 2015, em Recife, pelos sócios Leandro Reinaux, Cláusio Barbosa e Renato Cruz, a Even3 é uma plataforma de eventos que conecta pessoas e conhecimentos científicos e acadêmicos. A startup começou sua operação trazendo alternativas para organização de eventos presenciais, mas com a pandemia sentiu a necessidade de promover a transformação para uma atuação online. Atualmente, a plataforma permite a realização de videoconferências, sessões ao vivo ou gravadas, acompanhamento da programação dentro da plataforma. Além disso, a empresa oferece ainda serviços de publicação de conteúdos acadêmicos e tecnologia para que empresas e instituições de ensino possam realizar seus eventos em um ambiente seguro e personalizável com as características das marcas.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE