Saúde

Introdução alimentar a partir dos 6 meses

Saiba por onde começar

Publicado em 2018-06-10 08:00:02 Atualizado em 2018-06-10 08:00:02 (138 visualizações)

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a partir dos 6 meses de idade é a fase ideal da vida do bebê para começar a introdução alimentar. Assim, será substituído, aos poucos,  os alimentos pelo aleitamento materno exclusivo.

Se você está passando por esta fase, mas ainda não sabe por onde começar, te convido a acompanhar este artigo que o blog da Dica de Lingerie (www.dicadelingerie.com.br) preparou pra você. Aqui você, mamãe, irá saber  como deve se feita a introdução dos alimentos na vida da criança.

Introdução alimentar a partir dos 6 meses
A introdução de alimentos na vida da criança é feita aos poucos com alimentos da alimentação normal da família. O recomendado é começar por frutas, legumes e mingaus evoluindo até chegar a outros alimentos, como arroz, feijão e carnes.

A alimentação deve ser intercalada com as mamadas ou fórmulas lácteas apropriadas para a idade. As mamadas podem permanecer na alimentação da criança até os 2 anos de vida passando a ser um complemento da alimentação e não mais a alimentação principal como era até o sexto mês de vida.

Como deve ser preparado? 
A consistência da alimentação para a criança a partir dos 6 meses deve ser pastosa ou na forma de purê feitos. Os alimentos devem ser cozidos ou mesmo rapados como as frutas para facilitar a deglutição e a digestão da criança. Também pode ser na consistência mais líquida, neste caso, os mingaus.

Agora, por onde começar? 
A introdução dos novos alimentos deve ser feita por vez, isto é, cada alimento deve ser oferecido isoladamente. Essa estratégia é necessária para que a criança possa conhecer os sabores e texturas de cada alimento; isso facilita a aceitação dos alimentos por parte da criança.

Além disso, oferecer cada alimento separadamente ao bebê também ajuda os pais ou responsáveis a identificarem possíveis alergias, intolerâncias ou sensibilidades a determinados alimentos que a criança possa desenvolver. Isso pode ser verificado através de sintomas como dores de barriga, cólicas, prisão de ventre, diarreia, entre outros. É importante, nesses casos, sempre ter o acompanhamento médico.

À medida que a alimentação a partir dos 6 meses de vida for evoluindo, os alimentos podem ser misturados na mesma refeição, pois a criança já terá conhecido a maioria das texturas e sabores dos alimentos.

Quando há resistência na introdução alimentar...
De início é normal que a criança não coma tudo o que for oferecido a ela, principalmente os alimentos na forma pastosa ou de purê, pois ainda é o começo da sua vida alimentar e ela não conhece os alimentos com seus sabores e texturas. Por isso, não se pode forçar a criança a comer mais do que ela quer. A quantidade da refeição consumida pela criança vai aumentando gradativamente, pois leva certo tempo para que a criança se habitue com os novos alimentos. Daí a importância de complementar a alimentação com as mamadas como já foi dito.

A forma de oferecer os alimentos pastosos à criança deve ser sempre com o auxílio de uma colher. Assim, a criança sente melhor a textura dos alimentos e isso também estimula a mastigação e a deglutição. Já os alimentos líquidos, como mingaus e fórmulas lácteas, devem ser oferecidos em copos e não em mamadeiras.

Alimentos que podem ser oferecidos a partir dos 6 meses
Os principais alimentos que você pode oferecer à criança a partir dos 6 meses de vida são:

Legumes
Os purês de legumes ou mesmo sopas podem ser feitos com, por exemplo, cenoura, beterraba, chuchu, abóbora, batata doce, berinjela, abobrinha, couve-flor, entre outros. Na preparação, não é recomendado colocar sal, apenas cozinhar os alimentos e amassá-los.

Os legumes são alimentos ricos em nutrientes como vitaminas, minerais, antioxidantes, fibras, entre outros, que são importantes nessa fase do bebê.

Frutas
As frutas podem ser oferecidas também na forma de purês sendo amassadas ou raspadas. Você também pode cozinhar as frutas, mas sem adicionar açúcar.

Algumas frutas que podem ser oferecidas são: banana, mamão, abacate, maçã, pera, melancia, melão, entre outras. As frutas, assim como os legumes, são ricos em vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes.

Mingaus
Os mingaus também podem ser oferecidos. Podem ser feitos, por exemplo, de amido de milho, tapioca fina e algumas farinhas de cereais como aveia fina, arroz, milho, entre outros.

Evite oferecer mingaus de massas industrializadas como farinha láctea, arrozina, cremogema, neston, mucilon, etc., pois são produtos riquíssimos em açúcares que podem, desde cedo, predispor o aparecimento de cáries, além de serem produtos artificiais e sem valor nutritivo.

Cardápio alimentar a partir dos 6 meses
O cardápio alimentar para as crianças a partir dos 6 meses vai depender se a criança é amamentada ou não. Segundo a OMS e o Ministério da Saúde, crianças que são amamentadas devem realizar 3 refeições por dia e crianças que não são amamentadas devem realizar pelo menos 5 refeições por dia.

Segue abaixo um exemplo de cardápio:

Café da manhã: leite materno ou fórmula láctea (no copo)

Lanche da manhã: papinha de 1 fruta (pode ser mamão ou banana, etc.)

Almoço: purê de legumes (cenoura, batata doce e brócolis, por exemplo)

Lanche da tarde: leite materno ou fórmula láctea

Jantar: mingau

Ceia: leite materno ou fórmula láctea

Esse cardápio pode ser seguido por quem ainda é amamentado. No caso de quem não é mais amamentado, basta incluir frutas e legumes nas refeições onde há o leite (café da manhã, lanche da tarde e ceia).

No caso do almoço em que mais de um alimento é ofertado, ofereça-os separadamente, como já foi explicado. Assim, a criança poderá sentir o sabor e a textura desses alimentos e poderá assimilá-los em oportunidades futuras. Com o passar do tempo dê misturados.

Não há necessidade de incluir alimentos na dieta da criança que sejam totalmente diferentes da alimentação normal da família. O ideal é introduzir alimentos que sejam da realidade familiar para que, aos poucos, a alimentação da criança seja a mesma de toda a família. Mas lembre-se que a alimentação deve ser pautada em princípios saudáveis para que a criança possa crescer e se desenvolver sadiamente longe de problemas de saúde e doenças.

Mesmo tendo todas essas informações para começar a introduzir a alimentação no seu bebê a partir dos 6 meses de vida, é indispensável que haja um acompanhamento nutricional.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Saúde

UBS do Grego/Furlan na reta final


SP amplia vacinação contra gripe


Meningite suspende aula em escola


UBS São Vito atinge 80% do cronograma


"Zera Fila Meu Bairro" segue no Jardim Esmeralda



© 2009-2018. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza