Política Crítica

RMC: Secretários querem ampliar recursos da saúde

Sair do sufoco da

Publicado em 2018-06-12 16:00:01 Atualizado em 2018-06-12 16:00:01 (244 visualizações)

Secretários de Saúde e representantes de 15 cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas) se reuniram na manhã desta segunda-feira, 11, na sede da Agemcamp (Agência Metropolitana de Campinas), em Campinas. Conforme solicitação dos prefeitos que compõem o Conselho de Desenvolvimento da RMC, em reunião realizada na primeira semana de junho, o objetivo do encontro foi buscar alternativas para ampliar os recursos financeiros para manutenção e custeio da Saúde, sufocada pelo processo de "judicialização" do setor.

A reunião foi liderada pelo vice-prefeito e secretário de Saúde de Cosmópolis, Silvio Luiz Baccarin, a pedido do prefeito de Nova Odessa e presidente do Conselho de Desenvolvimento da RMC, Benjamim Bill Vieira de Souza. "Se conseguirmos reduzir custos extras, como os de ações judiciais, conseguiremos investir mais em atenção básica, por exemplo", explicou Baccarin.

Por Indaiatuba, o representante municipal, Odair Gonçalves, entregou um documento elencando as dificuldades de conseguir leitos em hospitais referenciados, a falta de medicamento de alto custo e o baixo repasse estadual e federal como entrave ao sistema. A secretária de governo de Hortolândia, Silvania Araujo da Silva, também elencou os motivos da cidade. "Não temos mais como arcar com os gastos", afirmou.

Dados

O secretário adjunto de Finanças de Nova Odessa, Achille Nicola Fosco, contou que a cidade gasta anualmente R$ 1,4 milhão em atendimento a ações judiciais e fez uma conta rápida com os municípios presentes. O resultado demonstrou que a RMC, composta por 20 cidades com aproximadamente 3,5 milhões de habitantes, deve investir este ano cerca de R$ 50 milhões somente com esses pagamentos impostos pela Justiça.

Para o secretário de Saúde de Nova Odessa, Vanderlei Cocato, a união dos prefeitos e secretários é "louvável", para o fortalecimento da região. "As ações da Saúde envolvem município, Estado e União e os três precisam contribuir para o melhor atendimento ao paciente. Apresentando todas nossas estatísticas pode ser que consigamos um aumento do custeio da para cada município e região, através da DRS VII (Diretoria Regional da Saúde".

Na semana passada, os Prefeitos da RMC se reuniram na sede da Agemcamp para tratar dos efeitos pós-greve dos caminhoneiros e seus reflexos na região. Na oportunidade, a Saúde também foi destaque, devido à necessidade de ampliação de recursos financeiros para custeio na área. "O que os prefeitos querem é buscar um diálogo com as esferas estadual e federal para dividir melhor essa conta da Saúde e oferecer um atendimento excelente aos seus pacientes", explicou o presidente Bill.

Na próxima quarta-feira, 13, será realizado um novo encontro de representantes de oito cidades para finalizar um documento, chamado de "carta de intenção" que será enviado para análise dos Prefeitos do Conselho de Desenvolvimento Metropolitano da RMC, com as reivindicações do setor.

Além de Nova Odessa, Cosmópolis, Indaiatuba e Hortolândia, também participaram representantes de Artur Nogueira, Holambra, Itatiba, Jaguariúna, Morungaba, Paulínia, Pedreira, Santa Bárbara D'Oeste, Santo Antônio de Posse, Sumaré e Valinhos.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Política Crítica

Antônio Javaroni vira cidadão americanense


Juca desiste da disputa a federal


Andia passa pito nos 'políticos tradicionais'


Escritório de Tiosso sofre tentativa de roubo


Ibope: Haddad vai a 19% e se isola em 2o



© 2009-2018. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza