Política Crítica

Os desafios do 'mandato curto'

Quatro anos e as poucas saídas

Publicado em 2016-11-03 09:40:47 Atualizado em 2016-11-03 09:40:47 (1136 visualizações)

Omar Najar (Americana), Dênis Andia (Santa Bárbara d'Oeste), Bill Vieira de Souza (Nova Odessa) e Luiz Dalben (Sumaré) viverão nos próximos dois anos o desafio de pensar o que fazer para ter um governo 'bombando' apesar do final obrigatório em 2020 e o risco de ter que escolher o sucessor e buscar novos voos em 2022.

Najar aparentemente é o único que não vai seguir na vida pública. Sua sucessão tende a ser um 'pega pra capar' com PV e PSDB (PMDB correndo por fora) na disputa. Andia e Dalben possuem vices com potencial para assumirem o comando- ainda lhes faltam os votos.

Bill viu os principais nomes da sucessão serem 'limados' nas urnas, mas ainda tem um vice que cisca mas não se assume homem público. E assim caminharão os próximos anos. Sem grana, sem ideias e cada vez mais desinteressantes os governos locais. Precisam se reinventar.

E JOÃO 23? Teve mandato curto, mas não se furtou de tentar mudar o status quo.  
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Política Crítica

PF aponta que agressor de Bolsonaro agiu sozinho


Bolsonaro. Campinas quer grande ato Ele Não


Adegas vai focar reta final na região


Márcio França lidera 'eleição dos vereadores'


Dr Otto quer recape na Florindo Cibin



© 2009-2018. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza