Agenda

Americana enfrenta violência sexual contra menores

CMDCA no dia 18 de maio

Publicado em 2018-05-15 11:58:30 Atualizado em 2018-05-15 12:03:34 (200 visualizações)

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Americana está mobilizando a sociedade para o dia 18 de maio "Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes".  Na sexta-feira (18/05), das 8h30 às 12 horas, o tema será abordado no Auditório Vermelho do Centro Universitário Salesiano – Campus Maria Auxiliadora, na Avenida de Cillo, 3.500, Parque Novo Mundo. A entrada é franca.

Às 9 horas, a psicóloga Cristina Marcondes irá proferir palestra sobre "Violência Sexual e suas Consequências no Desenvolvimento Psicoafetivo da Criança" e, às 10 horas, a agente de defensoria e psicóloga, Karina Pereira Sabedot, falará sobre as "Responsabilidades da Sociedade Civil e Agentes Públicos frente ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes". Os interessados em participar e receber os certificados podem se inscrever acessando o link https://goo.gl/vcGhTz
 
A realização é do CMDCA, Coasseje – Casa de Orientação e Assistência Social Seareiros de Jesus, Unisal, com o apoio da Secretaria de Ação Social e Desenvolvimento Humano da Prefeitura de Americana e Fundação Itaú Social.

A mobilização nacional é realizada anualmente para conscientizar a população sobre a responsabilidade de prevenir e enfrentar o problema da violência sexual praticada contra crianças e adolescentes.
 
A data foi instituída pela Lei Federal 9.970/2000 porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o "Caso Araceli". Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade.

Um dos objetivos do CMDCA é informar a população sobre os direitos das crianças e adolescentes e prevenir o abuso e a exploração sexual, segundo a presidente do Conselho, Neide Donizeti Nunes.
 
Entre as ações que o município tem executado para preservar os direitos das crianças e dos adolescentes, está a elaboração do Diagnóstico Municipal da Situação da Criança e do Adolescente, em fase de conclusão. 

"Esse diagnóstico será a base para a elaboração do Plano Decenal, que prevê ações para os próximos dez anos e que dará mais efetividade às Políticas de Atendimento dos Direitos da Criança e do Adolescente", disse a presidente do CMDCA.

A violência sexual praticada contra crianças e adolescentes envolve fatores de risco e vulnerabilidade quando consideradas as relações de gênero, raça, etnia, orientação sexual, classe social e condições econômicas. Contra meninos e meninas, a violência pode ocorrer tanto por meio do abuso sexual intrafamiliar ou interpessoal como na exploração sexual. 

Crianças e adolescentes que são vítimas de violência sexual ficam vulneráveis e podem ser usadas para o tráfico, pornografia, prostituição e até exploração sexual no turismo. Os adultos têm obrigação e responsabilidade legal de proteger e defender as crianças e adolescentes dessas violências com orientações, acolhida, sempre visando assegurar seus direitos.

O "Disque 100" foi criado para recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violência contra crianças e adolescentes. Funciona diariamente das 8 às 22 horas, inclusive aos finais de semana e feriados, sendo que as denúncias são anônimas e podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem direta e gratuita.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PUBLICIDADE


Agenda

Concurso de beleza infantil ajuda Benaiah


Palhaços são atração no Tivoli na segunda


Região tem evento de empoderamento feminino


Expo Tattoo na região em setembro


'O Diário de Mika' chega para única apresentação



© 2009-2018. Portal Novo Momento de Notícias. website: pratza